Roberto Azevedo

O jornalista Roberto Azevedo tem 39 anos de profissão, 17 deles dedicados ao colunismo político. Na carreira, dirigiu equipes em redações de jornal, TV, rádio e internet nos principais veículos de Santa Catarina.


Política Compartilhar
Administração estadual

Casa Civil teve Maria Debatin interina e agora só o adjunto Marcelo Mendes responde pelo cargo

Em 24 horas, houve dança das cadeiras no cargo

• Atualizado

Por

Reprodução/Secom
Reprodução/Secom

Nas últimas 24 horas, a Casa Civil do governo Jorginho Mello teve duas alterações em função da desistência do advogado Filipe Mello: chegou a ser comandada por Maria Teresinha Debatin, designada a acumular a função de secretária e de adjunta, de acordo com o Diário Oficial do Estado dos dias 9 e 10 de janeiro. Logo depois, ela foi substituída por Marcelo Mendes (foto), procurador do Estado de carreira, que foi nomeado como adjunto da pasta.

A troca levou Maria Teresinha a ser nomeada adjunta da Secretaria de Administração, enquanto Mendes, ligado a Filipe Mello, seja, na prática, o substituto temporário do deputado Estêner Soratto Júnior (PL).

O troca-troca revela uma certa instabilidade na ocupação do cargo, até compreensível em função da decisão de Filipe, que foi precedida de muito entusiasmo antes da divulgação da desistência nas redes sociais, na última terça-feira (9).

Reprodução/Diário Oficial do Estado

A Casa Civil não deve ficar acéfala porque é a responsável por divulgação de todos os atos políticos da administração estadual, faz a interlocução com a Assembleia, Judiciário, Tribunal de Contas e Ministério Público, além de caminho natural para ouvir as demandas dos prefeitos. Aliás, Mendes atuava como diretor de Assuntos Legislativos.

A secretária adjunta da Administração, Maria Teresinha Debatin. Ascom/Funcaju/abr/2008

O comentário nos bastidores do Centro Administrativo é o de que há uma série de atos que o governador Jorginho Mello prepara até domingo (14). E que, entre eles, estará a definição do nome do novo titular da Casa Civil.

Pelo menos o nome do secretário Cleverson Siewert (Fazenda) está descartado até este momento, enquanto há deputados a fazer lobby pelo colega Antídio Lunelli (MDB), empresário de sucesso, que foi prefeito de Jaraguá do Sul por duas vezes, e que estreou no Legislativo em 2023. Dificilmente Jorginho daria mais força à posição dos emedebistas no seu governo, que já têm o também deputado Jerry Comper na Infraestrutura e Mobilidade.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×

    Este site é protegido por reCAPTCHA e Google
    Política de Privacidade e Termos de Serviço se aplicam.