Segurança Compartilhar
Tristeza

“Se não fosse uma barreira de carros, poderíamos ter morrido”, diz moradora afetada por rompimento da Casan

A moradora relatou que ouviu um barulho alto, como se fosse de uma enxurrada de chuva e, logo depois, ouviu gritos vindo da rua

• Atualizado

Giovanna Pacheco

Por Giovanna Pacheco

Vitória Hasckel

Por Vitória Hasckel

Foto: reprodução SCC SBT
Foto: reprodução SCC SBT

Uma moradora do bairro Monte Cristo, Andreia, conversou com a equipe do SCC SBT após o rompimento da Casan em Florianópolis. Ela estava dentro de casa com o filho e com o marido, quando eles acordaram com o barulho do acidente.

A moradora relatou que ouviu um barulho alto, como se fosse de uma enxurrada de chuva e, logo depois, ouviu gritos vindo da rua. “Quando eu saí de casa a água estava no meu joelho. E depois, quando eu fui para a sala da minha casa, que é um pouco mais baixa, a água estava já na altura da minha cintura”.

“A gente perdeu tudo. Os carros que estavam em frente a minha casa formaram uma barreira. Mas se não fosse isso a gente poderia ter morrido. Destruiu toda a minha casa, minhas coisas”, desabafou a moradora.

Para se ter noção da força da água, a equipe do SCC10 verificou que a enxurrada chegou a arrancar a cerca de metal do 22º Batalhão da Polícia Militar. Ela caiu no chão e a força arremessou outros objetos para o outro lado da rua.

“Quando eu fui ver, a água já tinha entrado e enchido a casa embaixo da minha”

Antônio Biesk também foi afetado pelo rompimento da Casan no Monte Cristo. Ele conta ao SCC10 que, para ele, o barulho pareceu um avião que estava passando. Ele estranhou, mas não olhou e depois de minutos ouviu gritos de socorro.

“Eu saí na sacada, vi que o tempo estava bom e na hora já pensei que era uma caixa d’água que tinha caído. Quando eu fui ver, a água já tinha entrado na casa embaixo, encheu tudo. “

Ele explica que mora no andar de cima e, embaixo dele, há duas quitinetes que aluga para quatro pessoas. Os moradores embaixo dele perderam tudo e a casa dele não chegou a ter estragos. Na madrugada, foi ver tudo que tinha acontecido na rua:

“Quando era 4 horas da manhã eu desci pra ver tudo que tinha acontecido, mas tava muito escuro, não dava pra achar nada. Às 8 horas, desci e quando vi o meu carro estava ali de ponta cabeça. Ele tava na garagem lá em cima e veio parar longe da minha casa. “

Entenda o caso do rompimento da Casan

Um reservatório da Casan rompeu, às duas horas da madrugada desta quarta-feira (6), no bairro Monte Cristo, parte continental de Florianópolis. O bairro Sapé, que fica logo abaixo do local, foi o mais afetado pelo acidente. Diversas famílias precisaram sair de suas casas às pressas durante a madrugada.

A reportagem entrou em contato com a Casan, que se posicionou por nota. A instituição informou que o alagamento da via foi de cerca de 2 mil metros cúbicos e que o abastecimento de água da região não será interrompido. Em conversão simples, o valor do alagamento equivale a 2 milhões de litros de água.

Equipes da companhia, da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar estão no local para prestar assistência às familias e avaliar danos materiais. 25 engenheiros da Companhia estão no local para avaliar a estrutura das residências.

Por vídeo, o prefeito Topázio Neto avisou que vai abrir um inquérito para investigar o caso e garantir que a Casan continue abastecendo a região com água de outros reservatórios. Ele também afirmou que as equipes estão mobilizadas para atender e acolher as pessoas atingidas pelo incidente.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×