Segurança Compartilhar
Julgamento

Homem que encomendou crime e, por engano, o tiro acertou um bebê, é condenado

A bala tinha endereço para um carro em movimento, onde o alvo estava em um relacionamento amoroso com a ex-mulher do mandante

• Atualizado

Redação

Por Redação

Imagem Ilustrativa: Freepik.
Imagem Ilustrativa: Freepik.

Eram quase 13h de uma quarta-feira aparentemente normal de inverno no bairro Seminário, em Chapecó. Um homem carregava no colo sua filha, na época com sete meses, e no jardim de casa se preparava para levar a filha mais velha à escola. De repente, a bebê foi atingida por uma bala que transfixou seu peito. O socorro rápido e eficiente possibilitou a recuperação da criança. 

A bala perdida teve origem em um carro em movimento, cujo caroneiro pretendia acertar o motorista de outro carro em movimento. Era 4 de agosto de 2021. O alvo não atingido estava em um relacionamento amoroso com a mulher com quem o motorista do veículo de onde saiu o tiro se envolveu no passado. Ele foi o mentor do crime. 

Todas essas informações constam na denúncia do caso que foi a júri na comarca de Chapecó, no Oeste, na última sexta-feira (21/7), quando o mandante foi julgado. O réu foi condenado a 14 anos, dois meses e 20 dias de reclusão, em regime fechado. Ele está preso desde a data dos fatos, assim como o atirador contratado, que foi condenado em março deste ano a 16 anos de reclusão.  

Na ocasião, o idealizador do crime foi retirado da sessão, em que também era réu, para posterior exame de insanidade mental. Diante de laudo atestando sua perfeita saúde mental, foi possível dar seguimento ao processo, com a consequente condenação. Ambos os réus respondem por tentativa de homicídio qualificada por motivo torpe e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima. Os dois júris foram conduzidos pela 1ª Vara Criminal da comarca de Chapecó.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×