Saúde Compartilhar
Escherichia coli

Lote de queijo produzido em SC é recolhido por presença de bactéria “acima do limite”

Vigilância Sanitária determinou recolhimento imediato do lote

• Atualizado

Redação

Por Redação

Foto: Freepik | Banco de Imagens
Foto: Freepik | Banco de Imagens

A Vigilância Sanitária de Santa Catarina determinou o recolhimento de um lote inteiro de queijo minas da marca Fazenda Velha, produzido em Vargem Bonita, no Meio-Oeste catarinense. Segundo o órgão, foi encontrada a bactéria Escherichia coli em quantidade acima do estabelecido pela Anvisa.

A determinação foi publicada no Diário Oficial do Estado, na segunda-feira (13). A presença da bactéria em alimentos está associada a más práticas de fabricação e higiene e pode causar diarreia grave.

O lote do produto contaminado foi produzido em 29 de março. A data de vencimento do queijo minas é 29 de junho. A Vigilância Sanitária determinou que estabelecimentos comerciais que vendam o produto retirem o produto de exposição imediatamente.

Já a fabricante e as distribuidoras são obrigados a realizar o recolhimento do produto. “O não cumprimento do disposto nesta notificação configura infração sanitária, com sanções previstas na Lei Estadual nº6.320/1983”, destacou o órgão fiscalizador.

Em nota, a marca afirmou que já tinha do incidente e já havia tomado as medidas imediatas para resolver a situação. “Conforme mencionado, nossos vendedores foram prontamente notificados a orientados a retirar todos os produtos desse lote das áreas de venda há um mês atrás. A segurança e a satisfação dos nossos consumidores são de extrema importância para nós, e buscamos sempre garantir a qualidade de nossos produtos”, diz a nota.

Segundo a empresa, todas as unidades do o lote foram devidamente recolhidos a descartadas de acordo com os protocolos adequados. “Além disso, realizamos uma revisão completa dos nossos processos de produção e qualidade para evitar a ocorrência de problemas similares no futuro. Gostariamos de esclarecer que, após uma análise aprofundada, identificamos que a falha no processo de pasteurização pode ter sido ocasionada pela pressão de vapor, resultando na queda de temperatura durante o processo”, explicou a empresa.

“Reconhecemos a importância de um controle rigoroso desses parâmetros e estamos trabalhando para aprimorar nossos sistemas e prevenir ocorrências semelhantes no futuro. Ressaltamos que todas as análises microbiológicas realizadas em queijos coletados pela inspeção estadual estão em conformidade com a legislação vigente. Nossa prioridade é garantir a segurança dos produtos que oferecemos aos nossos consumidores, e estamos comprometidos em cumprir todas as exigências regulatórias”, disse a Fazenda Velha.

Leia mais

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×