Cotidiano Compartilhar
PREÇO DE BANANA

Heineken encerra operações após ser vendida por menos de R$10

O comunicado oficial foi emitido nesta sexta-feira (25)

• Atualizado

SBT News

Por SBT News

Foto: Freepik/ Reprodução.
Foto: Freepik/ Reprodução.

A Heineken anunciou sua decisão de encerrar suas operações na Rússia, culminando na venda simbólica de seus negócios por apenas um euro (R$ 5,27).

O comunicado oficial, emitido nesta sexta-feira (25), sinaliza a conclusão de um processo iniciado em março de 2022, no qual a cervejaria holandesa transferiu suas atividades para o Grupo Arnest, uma empresa russa.

Dolf van den Brink, CEO da Heineken, comentou sobre os desafios enfrentados pela empresa ao longo desse processo: “Os eventos recentes destacam as dificuldades que grandes indústrias enfrentam ao deixar o mercado russo”. 

Como parte do acordo, a segurança no emprego dos cerca de 1.800 colaboradores da Heineken na Rússia foi assegurada pelo Grupo Arnest por um período de três anos.

Em termos financeiros, a Heineken antecipou uma perda de cerca de 300 milhões de euros (cerca de R$ 1,58 bilhão) associada a essa estratégia de saída.

A decisão foi tomada após a empresa ter reiterado seu compromisso em evitar a nacionalização de suas operações russas. A cervejaria destacou duas principais razões para a saída: preocupações com os interesses das partes envolvidas e o risco de o governo se beneficiar da apropriação forçada de ativos empresariais significativos.

Empresas que também suspenderam as operações na Rússia

Google, Microsoft, Mastercard, Visa, PayPal e outras suspenderam suas operações no país. Em 2022, o governo russo também bloqueou o acesso ao Facebook, Instagram e Twitter. No entanto, neste caso, moradores locais usam dispositivos de Virtual Private Network (VPN) para burlar a máquina de censura de Putin para poder acessar os aplicativos de redes sociais.

Desde que a Rússia anunciou a ofensiva na Ucrânia, dezenas de empresas suspenderam as atividades no país, como resposta ao governo. McDonald’s, Coca-Cola, L’Oreal, Ferrari, Adidas, a rede de cafeterias starbucks e a montadora Ford estão entre as marcas que decidiram sair do país.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×

    Este site é protegido por reCAPTCHA e Google
    Política de Privacidade e Termos de Serviço se aplicam.