Cotidiano Compartilhar
a casa caiu!

Esquema de falsificação de marcas é descoberto em Blumenau; três empresas têxteis são investigadas

As buscas também ocorreram em Gaspar, Penha e Balneário Camboriú

• Atualizado

Olga Helena de Paula

Por Olga Helena de Paula

Foto: Polícia Civil/Divulgação.
Foto: Polícia Civil/Divulgação.

Nesta sexta-feira (23), a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão contra três empresas têxteis de Blumenau. Elas são suspeitas de delitos contra a propriedade industrial (arts. 189 e 190, ambos da Lei n. 9.279/96), tributários, consumeristas, lavagem de dinheiro e organização criminosa.
A denúncia foi feita por representantes de marcas com notoriedade.

Ao todo, os policiais civis localizaram três galpões em Blumenau que seriam utilizados para falsificar as roupas, para depois vendê-las ao comércio em geral, sobretudo para São Paulo (SP) e Fortaleza (CE).

Além da produção em massa de roupas falsificadas, as empresas investigadas omitiam informações aos órgãos de controle para pagar menos tributo e também para ocultar a origem do dinheiro.

As buscas ocorreram em Blumenau, Gaspar, Penha e Balneário Camboriú. Além delas, medidas judiciais também foram cumpridas em lojas de São Paulo e Fortaleza.

Bloqueios milionários

A Justiça ainda determinou o bloqueio e sequestro de contas bancárias investigadas até o valor de R$ 85 milhões.

Foto: Polícia Civil/Divulgação.

Veículos de luxo dos sócios das empresas, uma embarcação de 38 pés (avaliada em aproximadamente R$ 3 milhões), bens guardados em um cofre e um apartamento de alto padrão em Balneário Camboriú, também foram sequestrados.

Todo o material foi encaminhado para a Polícia Científica para elaboração do laudo pericial. Os investigados serão interrogados, as diligências concluídas e o inquérito policial apresentado ao Poder Judiciário.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×