Segurança Compartilhar
Novas medidas

Polícia vai intensificar repressão a furtos e receptação de fiação em SC

A expectativa é ampliar os trabalhos de inteligência e de operações contra o furto de fiação no estado.

• Atualizado

Redação

Por Redação

Foto: Polícia Civil | Divulgação
Foto: Polícia Civil | Divulgação

Em reunião na tarde desta segunda-feira (13) com a presidência da Celesc, a Delegacia Geral da Polícia Civil determinou a intensificação das medidas de repressão aos furtos e receptação de fiação elétrica no Estado de Santa Catarina.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, serão ampliados os trabalhos de inteligência e as operações contra esse tipo de conduta criminosa. Os furtos qualificados de fiação e também em unidades da Celesc, como as subestações, têm gerado problemas e risco ao fornecimento, além de prejuízo.

Na reunião em que foram tratadas as ações, o delegado-geral recebeu na Delegacia Geral, em Florianópolis, o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins; o diretor de Distribuição, Sandro Ricardo Levandoski; o assistente da Presidência, André Cesconeto e o chefe da Divisão de Manutenção e Distribuição, Ismael Lima de Borba. Também participaram o diretor de Inteligência da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D`Avila e o diretor da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC), Verdi Furlanetto.

“Nos últimos anos, em que pese o aumento de investimento em vigilância privada feitos por esta distribuidora, temos registrado um crescente aumento de furtos qualificados em nossas instalações, em especial as subestações”, relatou o presidente da Celesc.

Entre as consequências estão o risco às instalações e à continuidade do fornecimento de energia elétrica, prejudicando a população catarinense de maneira geral, a produção dos diferentes setores (indústria, comércio e serviços), o funcionamento de hospitais, policlínicas e postos de saúde, escolas e creches, os órgãos públicos, iluminação pública, entre outros pontos.

Segundo os registros da Celesc, em 2020 foram mais de 1.800 ocorrências relacionadas ao furto qualificado em instalações da Celesc. Já em 2021 (até 15 de novembro), houve mais de 2.300 ocorrências nas mais diversas regiões da área de concessão da Celesc.


>> SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×