Política Compartilhar
Live semanal

“Se puder tomar banho frio, é muito mais saudável”, aconselha Bolsonaro na crise hídrica

Presidente falou sobre a escassez de chuva em transmissão ao vivo pela internet.

• Atualizado

SBT News

Por SBT News

Foto: Divulgação/SBT
Foto: Divulgação/SBT

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez um apelo nessa quinta-feira (23), em sua live semanal, para que as pessoas economizem energia elétrica, tendo em vista que o nível de água chegando ao reservatório das hidrelétricas é o pior dos últimos 91 anos. Entre as recomendações feitas pelo chefe do Executivo para os cidadãos contribuírem com a continuidade da distribuição de energia mesmo na crise hídrica, estão apagar as luzes, aumentar a temperatura ou deixar de utilizar ar condicionado, tomar banho frio e não usar elevador.

“Até faço um pedido para você agora: se tem uma luz acesa a mais na sua casa, por favor, apague. Nós estamos vivendo a maior crise hidrológica dos últimos 90 anos. Se você puder apagar uma lâmpada da sua casa, apague. Se você puder puder aí desligar também o ar condicionado, se não puder, tá com 20ºC, passa para 24ºC, gasta menos energia. Aqui, o que eu faço? Além de eu apagar as luzes todas e desliguei, desde quando assumi, desde janeiro de 2019, desliguei aqui o aquecedor da piscina”, falou o presidente.

“Eu estou com 66 anos e tenho alguns problemas aqui de fraturas e outros problemas aí de saúde que vão aparecendo. Então eu geralmente pego elevador para subir. Aqui estão três andares. Quando tem que descer, mesmo que o elevador está aberto na minha frente, eu desço pela escada. Se você puder fazer a mesma coisa no seu prédio, ajude a gente. Quanto menos mexer com o elevador, mais economia de energia nós temos. Estamos com uma bandeira vermelha aí, uma extra de R$ 14,00 a cada 100 megawatts, não é maldade, é para compensar o pagamento da fonte alternativa de energia que não é hidrelétrica totalmente. Vem de termelétricas e custa caro”, continuou.

Para encerrar o assunto, disse: “Se você puder apagar uma luz na sua casa, apague, por favor. Não use elevador. Tomar banho é bom, mas se puder tomar banho frio, é muito mais saudável, ajude o Brasil. A gente pede a Deus que, agora em novembro, final de outubro, começo de novembro, venha chuva para valer no Brasil, para a gente não ter problema no futuro, que podemos ter problema no futuro, ninguém está negando isso daí”.

Ocupação da Bolsa de Valores

ocupação da Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), em protesto contra a fome e o desemprego, também foi comentado por Bolsonaro na live. O presidente sugeriu que o ato foi “um pequeno exemplo” de como a esquerda vê a iniciativa privada. Além disso, criticou o líder do MTST, Guilherme Boulos, por supostamente culpá-lo pela fome e a falta de vagas de trabalho no Brasil.

Segundo Bolsonaro, Boulos e a esquerda teriam contribuído para os problemas ao apoiar medidas restritivas adotadas por governadores e prefeitos em 2020, para conter o avanço da pandemia: “Vocês fizeram tudo ao contrário quando vocês apoiaram a política do fique em casa, a economia a gente vê depois. Então você apoiou isso. Fome, tem gente que passa fome no Brasil, tem gente que passa mal, sabe disso. Está havendo ainda uma inflação nos produtos alimentícios no mundo todo, não é só no Brasil”.

Em determinado momento, chamou o líder do MTST de “paspalhão” por supostamente tentar culpá-lo pelos problemas econômicos. “Procurando aí fazer demagogia. Agora, nunca vi esse cara ao lado da lei, ao lado da ordem, respeitando a propriedade privada, respeitando o emprego. Eu não via a esquerda quando se fechava tudo em São Paulo, o partido dele ou ele falando ‘como é que fica os empregos?’. Se não é o Governo Federal socorrer com auxílio emergencial que ano passado equivaleu, sim, a US$ 800,00 [R$ 4.243,28]”, acrescentou.

Em resposta às falas do presidente, pelas redes sociais, Boulos escreveu: “Ser xingado por um genocida é, para mim, um elogio. Xinga mais, Bolsonaro, aproveita enquanto você ainda pode fazer isso fora da cadeia!”.

Infecção pelo coronavírus

O presidente afirmou ainda que é muito difícil evitar o contágio pelo novo coronavírus e voltou a minimizar a importância da vacinação e do uso de máscaras: “Estão vendo agora o ministro Queiroga. Tomou as duas doses da CoronaVac e está infectado. Vivia de máscara e está infectado”, afirmou.

Em outro instante, disse que o premiê britânico, Boris Johnson, teria evitado fazer uma aposta de quem estaria mais imunizado contra a covid. “Lá na frente ele perguntou se eu tinha tomado a vacina, eu falei que não e falei que o meu IgG estava lá em cima, 991, está documentado aqui. E eu falei ‘vamos apostar uma caixa de uísque que o meu IgG está maior do que o seu que está vacinado’. Ele sorriu e não quis apostar comigo. E muita gente diz, que entende, que estuda, etc., que quem contraiu o vírus e se curou, obviamente, está mais imunizado do que quem tomou a vacina. Olha o meu caso e o do Queiroga”, relatou de forma enganosa.

O ministro da Saúde contraiu a covid-19 mesmo imunizado porque as vacinas não impedem a infecção pelo vírus, mas diminuem a chance de desenvolver quadros graves da doença.

>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×