Política Compartilhar
Dia da Independência

Carta alerta para “insurreição” e “risco à democracia” no 7 de Setembro

Documento, assinado por ex-presidentes e parlamentares de 26 países, fala em risco de golpe no país

Por

• Atualizado

Foto: Isac Nóbrega/PR/Reprodução/Agência Brasil
Foto: Isac Nóbrega/PR/Reprodução/Agência Brasil

Mais de 150 parlamentares, ministros e ex-presidentes de 26 países assinam um documento, divulgado na manhã desta segunda-feira (6) pelo instituto Progressive International, que alerta para uma “insurreição que põe em risco a democracia no Brasil” no 7 de Setembro.

A carta diz que “neste momento, o presidente Jair Bolsonaro e seus aliados — incluindo supremacistas brancos, policiais militares e servidores públicos de todos os níveis do governo — estão preparando uma marcha em todo o país contra a Suprema Corte e o Congresso em 7 de setembro, alimentando o medo de um golpe na terceira maior democracia do mundo”.

>> Siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook

As marchas a que a entidade se refere estão sendo convocadas pelo presidente para esta terça-feira (7). Em atrito com os outros Poderes da República, sobretudo com o Judiciário, Bolsonaro tem instado a militância a participar dos atos, os quais chegou a classificar de “nova Independência”. Em discurso após passeio motociclístico em Pernambuco, no sábado (4), falou em ruptura e disse que as manifestações servirão para colocar “no devido lugar” aqueles que não respeitam o povo — a quem chamou de “poder moderador” — ou “ousam não obedecer a Constituição”. 

O documento lembra episódios envolvendo Bolsonaro considerados “ataques às instituições democráticas brasileiras”, como o desfile “sem precedentes” de tanques na Esplanada e as ameaças à realização das eleições em 2022 com vistas à aprovação de mudanças propostas pelo presidente. A carta ainda resgata supostas mensagens atribuídas ao chefe do Executivo em que ele defende que as manifestações de 7 de Setembro seriam um “contragolpe necessário” contra o Supremo Tribuna Federal (STF) e o Congresso.

Por fim, o documento afirma que membros do Congresso estão preocupados de que as manifestações sejam uma repetição da tentativa de invasão ao Capitólio, nos Estados Unidos, encorajada pelo ex-presidente Donald Trump.

“Estamos profundamente preocupado com a ameaça iminente às instituições democráticas brasileiras — e permaneceremos vigilantes para defendê-las antes e depois do 7 de Setembro. O povo do Brasil para recuperar a democracia do regime militar. Bolsonaro não deve ser permitido a roubá-la agora”, finaliza a carta.

Entre os signatários do documento os ex-presidentes Fernando Lugo (Paraguai) e Rafael Correa (Equador), parlamentares de países como Uruguai, Argentina, Reino Unido e Austrália, professores como Noam Chomsky e ex-chanceleres de diversas nações, a exemplo do brasileiro Celso Amorim.

O Progressive International é uma organização internacional que reúne ativistas e organizações progressistas de todo o mundo. A associação foi fundada em 2018 pelo Movimento Democracia na Europa e pelo Instituto Sanders, do senador norte-americano Bernie Sanders.

publicidade
publicidade

Veja mais