Empreender Compartilhar
Home Office

Startup do Oeste cresce 47,5% ao mês com soluções inovadoras durante a pandemia

A empresa participa do evento Startup Summit, em Florianópolis

• Atualizado

Rafaella Moraes

Por Rafaella Moraes

Da esquerda para a direita: Mario Ferrari, COO da Iopint, Jungles Wegher, CEO e fundador, e Patrik Tarouco, chefe de marketing.
Foto: Rafaella Moraes | SCC SBT.
Da esquerda para a direita: Mario Ferrari, COO da Iopint, Jungles Wegher, CEO e fundador, e Patrik Tarouco, chefe de marketing. Foto: Rafaella Moraes | SCC SBT.

Em meio ao cenário imposto pela pandemia do novo coronavírus, muitas empresas precisaram se reinventar. Entre as principais mudanças, home office (trabalho de forma remota) foi uma das medidas mais adotadas.

Conforme uma pesquisa divulgada em julho de 2021, pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), 11% dos trabalhadores ativos no Brasil exerceram suas atividades profissionais de forma remota entre os meses de maio e novembro de 2020. O estudo levantou que o número de empresas que pretendem adotar o teletrabalho no pós-pandemia deve crescer cerca de 30%. **

Por conta disso, a tecnologia se tornou uma aliada ainda mais forte neste período e ferramentas desenvolvidas para solucionar as dificuldades encontradas pelas empresas, ganharam um destaque ainda maior. Atenta a esse detalhe, a startup de São Miguel do Oeste, no Oeste de Santa Catarina, surgiu, em 2019, com objetivo de ajudar as organizações em relação ao controle de ponto, jornada de trabalho e cálculo de horas trabalhadas. 

Leia também: Empresa de Joinville tem aumento de 140% nas vendas após consultoria do Sebrae

Jungles Wegher, CEO e fundador da Iopoint desenvolveu um software capaz de controlar e armazenar todos os dados registrados pelos colaboradores com segurança e transparência. “Colocamos o produto no mercado no meio de uma grande pandemia, mas estamos com bons números e com uma crescente grande no mercado geral”, conta Wegher.

Jungles Wegher explica o aplicativo.

Para Patrik Tarouco, chefe de marketing, a principal importância do software é poder ajudar as empresas a focar mais no capital humano. “Queremos ser uma empresa referência para qualquer RH”, afirma.

** No período levantado, 74 milhões de brasileiros estavam trabalhando no país e, dentre os trabalhadores, 8,2 milhões atuavam no modelo home office

Crescimento de 47,5% ao mês e abertura de operações internacionais:

Com 53 colaboradores e com contratações semanais para atender as demandas do mercado, a startup, de São Miguel do Oeste, cresce 47,5% ao mês e começa a abrir operações internacionais no Paraguai e em Portugal.

Mario Ferrari conta sobre o crescimento da startup.

“Precisamos no reinventar na pandemia. Estamos em todo os estados do Brasil, crescemos 47,5% ao mês e já abrimos operação no Paraguai e dia 29 de outubro vamos viajar para Portugal para abrir operações lá”, explica Mario Ferrari, diretor de operações.

Inteligência de reconhecimento facial moderniza e garante o controle da jornada de trabalhadores:

Para tornar o produto ainda mais tecnológico e confiável, a empresa está fechando parceria com outra empresa catarinense, a DITEC, para garantir a segurança e certeza de que a pessoa que faz o registro é de fato um colaborador. “Com a tecnologia, podemos dizer onde a pessoa está e quem é a pessoa que está fazendo o registro. Dando uma informação 100% segura e modernizar o RH”, diz Ferrari.

Leia também: Câmeras reduzem uso da força por PMs, diz estudo

De acordo com Fernando Gomes de Oliveira, diretor-geral da DITEC, o uso da tecnologia de visão computacional para aprimorar a identificação biométrica melhora o desempenho da solução, pois garante a veracidade das informações. “A identificação biométrica por impressão digital é limitada, pois em algumas situações, como por exemplo professores que têm muito contato com giz, o método tem sua eficiência reduzida, fazendo do reconhecimento facial a solução mais indicada para identificar o colaborador”, afirma.

“A visão computacional permite coletar outros dados, como o estado emocional do colaborador, identificando sinais de depressão, estresse ou medo; com o uso de câmeras especializadas, também é possível medir temperatura corporal à distância, e assim poder prevenir ou tratar enfermidades. As possibilidades são enormes e podem contribuir para o bem-estar dos colaboradores”, complementa o executivo.

Troca de experiências no evento Startup Summit 2021

Vídeo: SCC Meio-Dia. Reportagem de Arliss Amaro e produção de Amanda Sperotto | SCC SBT.

O Startup Summit retorna à Florianópolis em um evento híbrido que está sendo realizado nos dias 14 e 15 de outubro, no Centrosul e transmitido para todo o País, a qual a Iopoint está presente com um stand. O evento é promovido pelo Sebrae/SC e pela Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) e terá 60 palestrantes, divididos em dois palcos e contará com oito trilhas de conteúdos.

No evento, a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Santa Catarina (Sebrae/SC) vão apresentar 25 startups aprovadas no Programa Acelera Startup SC nesta quinta-feira (14), às 16h. As empresas receberão, ao todo, R$ 1,25 milhão – R$ 50 mil para cada uma.

Essas empresas fazem parte de um grupo de 50 que participam do Programa Startup SC – 11ª Turma do Programa de Capacitação, oferecido pelo Sebrae/SC. Foram selecionadas iniciativas com soluções inovadoras para os desafios do mercado e que sejam escaláveis, ou seja, com alto potencial de crescimento. Por meio de uma chamada pública lançada em agosto, Sebrae e Fapesc escolheram 25 para receberem os recursos.

“Nosso governo sempre reconheceu o empreendedorismo e a inovação como pilares de desenvolvimento”, afirma o governador Carlos Moisés. “Parcerias assim representam mais uma oportunidade de unir ambos, reconhecendo os desafios do mercado, sempre pensando no futuro de Santa Catarina”.

De acordo com o presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen, o programa foi pensado para suprir uma lacuna. “O Acelera Startup SC vem para suprir uma lacuna em relação ao apoio de propostas de inovação a partir de empresas já constituídas e que estão recebendo toda a capacitação do Sebrae Startup SC. Ou seja, é uma forma de gerar a aceleração de projetos de inovação e dos próprios negócios com maior maturidade e apoio”.


>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×