Especiais Compartilhar
Especial

Festa das cores Milium

São mais de 5 mil cores para sua casa!

Por

• Atualizado

Foto: Milium, Divulgação
Foto: Milium, Divulgação

A pintura da casa e seus ambientes é muito mais que uma ação de decoração. Além de deixar sua casa mais bonita, a pintura proporciona uma proteção onde ela está aplicada, pois torna-se a primeira camada a sofrer com choques, ataques de produtos químicos, umidade do ar, luminosidade e temperatura. A pintura oferece uma maior e melhor higienização dos ambientes, permite um controle de luminosidade, servindo também para identificar, sinalizar, isolar termicamente e ainda, através de suas cores, auxiliar nos efeitos psicológicos sobre as pessoas.

Agora, depende da qualidade da tinta e sua aplicação, a garantia de sua boa aderência no local aplicado com suas propriedades e benefícios mantidos. Quando se trata de aplicação, tratamos das boas condições que a superfície deverá apresentar para que esta tinta seja aplicada. Portanto o resultado final de uma boa pintura é também resultado direto do preparo adequado das superfícies.

São diversos fatores que devem ser avaliados antes da pintura para garantir sua qualidade final. Por exemplo, antes de pintar é importante verificar se não existe vazamentos e excesso de água na superfície. Esta água pode promover o aparecimento de bolhas e impedir a aderência das películas, bem como propiciar a formação de mofo.

Foto: Milium, Divulgação

Em geral:

Concreto e reboco – aguardar pelo menos 30 dias para cura total. O concreto deve estar seco, limpo, isento de pó, sujeira, óleo e agentes desmoldantes.

Cimento amianto – tem muita alcalinidade, então indica-se a aplicação de um fundo resistente à alcalinidade para selar a superfície. Mas se usar latéx acrílico não é necessário este fundo.

Pisos – pintar somente os pisos porosos já que os vitrificados (ladrilhos, concreto liso…) não tem boa aderência. O piso deve estar seco e limpo (sem sujeiras como óleo, graxa, cera, etc.). Pisos de cimento queimado precisam receber um tratamento prévio com solução de ácido muriático e água (1:1), para abrir porosidade na superfície. Depois, deve ser enxaguado, seco e então pintado.

Madeira – deve estar toda limpa, aparelhada, seca e isenta de óleos, graxas, sujeiras ou outros poluentes. Madeiras resinosas devem ser seladas com verniz.

Superfícies emassadas – são, geralmente, muito absorventes e sujeitas à contaminação pela poeira. Por isso, retirar toda a poeira é essencial para uma boa aderência da tinta. Depois, deve ser aplicado um selador tipo incolor para selar a massa. A própria tinta de acabamento pode ser utilizada sobre a superfície emassada, desde que a 1ª demão, servindo de seladora, seja aplicada com maior diluição.

Superfícies mofadas – devem ser extremamente limpas, com a total destruição das colônias. Deve-se escovar a superfície, depois lavar com uma solução de água potável e água sanitária (1:1). Deixe agir por cerca de 30 minutos e lave novamente com água potável, aguardando a completa secagem antes de iniciar a pintura.

Superfícies já pintadas – se a superfície estiver em boas condições, fazer um lixamento e limpá-la bem antes da pintura. Quando em condições ruins, a tinta antiga deve ser completamente removida e então proceder como se fosse superfície nova.

E depois vem a fase da escolha da tinta e este é um passo que pode gerar muitas dúvidas. São muitas opções e nem sempre fica fácil decidir qual a tinta certa. Então aqui vão algumas dicas:

O tipo de superfície

Já citamos os cuidados necessários com as superfícies antes de pintar. Mas existe um tipo de tinta certo para cada superfície e espaço. Uma cozinha precisa de uma tinta resistente que seja de fácil lavagem, enquanto uma área externa é preciso uma tinta resistente a chuva e sol. A seguir falaremos um pouco de cada tipo de tinta e suas indicações de uso.

Ter atenção com a cor que será aplicada

As cores das tintas falam muito sobre você e seu estilo, e também influenciam diretamente nas decisões dos acabamentos. Tintas muito fortes, como o vermelho, podem demonstrar mais os defeitos das superfícies e geralmente cansam mais rapidamente. Tintas muito neutras podem deixar o ambiente muito frio e sem graça. Outra questão importante é separar as cores da moda com as cores de casa. A moda muda a cada seis meses e as cores de casa perduram por muito tempo. Então o ideal é misturar cores que você goste dando graça e alegria aos ambientes.

Foto: Milium, Divulgação

Agora vamos falar um pouco sobre os tipos de tinta.

Tinta acrílica. Feita à base de água com secagem rápida, e por ser impermeável é usada com mais frequência em paredes de alvenaria em ambientes internos e externos, também pode ser usada em materiais mais porosos, como o gesso e tijolos. É muito usada em fachadas. Hoje já existem opções que permitem fazer a pintura e voltar para casa no mesmo dia. Por ser impermeabilizante ajuda muito na limpeza. Para lavar a tinta acrílica é muito fácil: basta usar um pano úmido ou uma esponja.

A tinta acrílica tem 3 tipos de acabamento:

Acetinado – brilho discreto e resistência à limpeza.

Fosco – Não tem brilho, esconde melhor os defeitos da superfície e é um pouco menos resiste à limpeza.

Semibrilho – Esta opção é bem brilhante. Pede uma parede bem lisa pois destaca as imperfeições.

Tinta esmalte já é feita com base de óleo. É uma tinta ideal para uso em madeiras, portas, rodapés e em metais como corrimão, mobiliários, pés de mesa, etc… A tinta esmalte é uma das mais resistente, com mais aderência, mas com secagem demorada.

Tinta látex

A tinta látex não tem grande resistência ao sol e a chuva, por isso não é indicada para ambientes externos, melhor uso em paredes internas e teto (gesso). Seu acabamento costuma ser fosco devido a sua resina e tem uma secagem rápida. Uma das suas vantagens é que ela é resistente ao mofo e sua limpeza requer cuidado para que ela não seja retirada. O recomendado é o uso de um pano úmido.

Tinta epóxi

Se falarmos de resistência, a Epóxi e uma das opções mais escolhidas para resistir ao atrito, ação do tempo e umidade. Ela é indicada para locais com muito fluxo e desgaste como garagens, quadras esportivas e até mesmo piscinas. A tinta também pode ser aplicada em madeira, alvenaria, metais, pisos e azulejos, mas atenção que em pisos e azulejos, como sua superfície é muito lisa (pouco porosa) a resistência da tinta diminui.

Esmalte Sintético. O esmalte sintético é um dos tipos de tinta mais usados na construção civil, mas não para uso em paredes. É indicada apenas para ferro e madeira, já que, em

contato com paredes de alvenaria e gesso, esse tipo de tinta fica suscetível ao descascamento e surgimento de bolhas. Pode ser usado na área externa, com incidência de sol e chuva, devido sua alta resistência. A marca registrada do esmalte sintético é seu alto brilho. Mas existem versões que oferecem uma aparência mais fosca, acetinada ou metalizada também.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre as tintas e dos cuidados de pintura, venha para a Milium e conheça muito mais sobre cores, materiais de pintura, materiais de proteção. A Milium tem de tudo para sua pintura. São mais de 5.000 cores e todos os equipamentos necessários para deixar sua casa mais bonita e também mais valorizada!

Milium, a rede de lojas que tem de tudo para quem quer Construir, Reformar ou Decorar. São mais de 35 mil produtos das melhores marcas. A Milium é uma loja completa, com soluções para o seu dia a dia e para deixar sua casa sempre nova. É Variedade, Qualidade e Preço Baixo. Tudo o que você precisa em um só lugar!

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Veja mais