Cotidiano Compartilhar
Massacre

Massacre do Carandiru: comissão da Câmara aprova anistia a policiais envolvidos

Texto ainda precisa ser analisado pela CCJ antes de seguir para o plenário, mas não há data prevista

Por

• Atualizado

A cúpula menor, voltada para baixo, abriga o Plenário do Senado Federal. A cúpula maior, voltada para cima, abriga o Plenário da Câmara dos Deputados.
A cúpula menor, voltada para baixo, abriga o Plenário do Senado Federal. A cúpula maior, voltada para cima, abriga o Plenário da Câmara dos Deputados.

A Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (2), o projeto de lei que garante anistia aos policiais militares punidos ou processados por envolvimento no Massacre do Carandiru, Em 1992, operação feira para conter uma rebelião no presídios resultou na morte de 111 detentos. 

O relator do texto, deputado Sargento Fahur (PSD-PR), defendeu a aprovação da proposta. “Ninguém saiu de casa cedo para ir lá matar bandido, matar estuprador, matar assaltante, matar traficante. Saiu de casa para trabalhar e deu essa rebelião gigantesca e a polícia foi lá e resolveu o problema da maneira como ela tinha condições de resolver naquela época. Então, são verdadeiros heróis”, afirmou durante reunião do colegiado. 

A aprovação na comissão foi simbólica, sem o registro nominal dos votos dos parlamentares, apenas o deputado Marcel van Hattem (Novo-RS). “Assim como há críticas aqui feitas em relação à forma como o Judiciário tratou o tema, coletivamente e não individualizando as penas, tampouco nós podemos aqui buscar uma anistia coletiva, no meu entendimento”, avaliou. 

A proposta ainda precisa ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça antes de seguir para o plenário, mas ainda não há data prevista.

>>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK.

publicidade
publicidade

Veja mais