Cotidiano Compartilhar
Confusão

Cidade de SC cancela festa após polêmica e acusação de transfobia; entenda

Um jurado fez publicações nas redes sociais onde dizia "que um homem biológico tiraria o lugar das mulheres de verdade no concurso"

• Atualizado

Carolina Sott

Por Carolina Sott

A candidata Luiza Maciel Inácio disputou o concurso em SC | Foto: Reprodução/Redes Sociais
A candidata Luiza Maciel Inácio disputou o concurso em SC | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma decisão da Justiça após uma acusação de transfobia levou a prefeitura de Ermo, no Sul de Santa Catarina, a cancelar a VII Festa do Agricultor e V Arrancada de Tratores, que seria realizada entre os dias 14 e 17 de setembro. O comunicado sobre a polêmica foi divulgado nesta sexta-feira (21), nas redes sociais.

A suspensão do resultado do concurso de beleza do evento ocorreu após uma candidata acusar um dos jurados, o deputado estadual Jessé Lopes (PL), de transfobia. O parlamentar fez publicações nas redes sociais usando imagens da garota, onde dizia “que um homem biológico tiraria o lugar das mulheres de verdade no concurso e que a autora ganharia o título somente em nome da lacração esquerdista”, de acordo com a defesa da jovem.

Conforme o Portal UOL, a defesa da candidata Luiza Maciel Inácio, entretanto, sustenta que o recurso não visava cancelar o concurso e, sim, invalidar as notas do deputado estadual Jessé Lopes (PL-SC), a quem acusam de transfobia. O concurso de “Rainha” é da Festa do Agricultor de Ermo.

“O que pedimos foi a desconsideração das notas, jamais pedimos a anulação do concurso. Mas a juíza entendeu que seria melhor suspender o concurso todo. Nosso intuito nunca foi prejudicar candidata A, B ou C. Ela não tem nada contra as candidatas. Foi mérito”, explicou o advogado Thauan Maia de Moraes.

A suspensão

A juíza considerou que “a atuação do jurado Jessé Lopes prejudicou a parte autora”. A magistrada considerou em sua decisão que o deputado usou em sua avaliação “critério que, além de preconceituoso, não está incluso no Edital do Concurso”.

A defesa também alega que o município errou em convidar um jurado que “já havia se manifestado publicamente sobre a candidata” e busca responsabilização da organização da festa. Ontem, a Prefeitura divulgou uma nota na qual diz que o deputado foi convidado antes das publicações em questão e que “todos os meios jurídicos e cabíveis ao caso, estão sendo tomados pela Administração Municipal de Ermo”.

O que diz o deputado

Nas redes sociais, o deputado Jessé Lopes lamentou a decisão e disse que seus votos foram dados “independente de eu concordar ou não com a participação de pessoas trans nesses concursos”. Para ele, a candidata foi “prepotente” no pedido “ao se achar prejudicada por causa de um jurado, sendo que éramos em cinco”.

Confira sobre a polêmica no SCC Meio-Dia

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×

    Este site é protegido por reCAPTCHA e Google
    Política de Privacidade e Termos de Serviço se aplicam.