Por Elas Compartilhar
Violência doméstica

Mulher faz sinal na mão para pedir socorro e denunciar agressor em Criciúma

A mulher conseguiu mostrar o sinal na mão para pedir ajuda em uma lanchonete. O homem suspeito de agressão foi preso no local.

Por

• Atualizado

Foto: Polícia Militar
Foto: Polícia Militar

Na noite do último sábado (26) a Polícia Militar, socorreu uma mulher que pediu ajuda, desenhando um sinal vermelho na mão e mostrado em uma lanchonete, no bairro São Luiz, em Criciúma.

Segundo a PM, a mulher mostrou discretamente o sinal para o atendente da lanchonete, que entendeu a mensagem e acionou a Polícia.

Conforme a Pm, uma guarnição policial da Rede Catarina, especializada em atendimentos de proteção à mulher, foi deslocada rapidamente até o local para prestar todo o atendimento psicológico e necessário à vítima, como também foi ofertado a ela o botão do pânico.  

O homem foi preso no local e encaminhado à Delegacia de Polícia de Criciúma, sendo que já possuía diversas passagens policiais no Rio Grande do Sul, sendo algumas delas de violência doméstica e descumprimento de medida protetiva. 

Denuncie

A orientação da Polícia Militar é de que mulheres vítimas de violência doméstica a utilizarem o “sinal vermelho contra a violência” para pedir ajuda, caso não consigam manifestar isso de outra forma. O sinal, conhecido internacionalmente como um pedido de socorro voltado para mulheres que sofrem agressões, salvando vidas diariamente ao redor do mundo. Trata-se de um X – geralmente na cor vermelha – desenhado na mão e mostrado para quem pode trazer alguma ajuda para a vítima.

O Programa Sinal Vermelho teve como inspiração algumas experiências na Europa sendo incentivado pelo Conselho Nacional de Justiça em 2020 por conta da pandemia, passando o programa a ter status de lei com a entrada em vigor da lei 14.188/2021.

>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK

Veja mais