Esporte Compartilhar
Prisão

Daniel Alves é condenado a 4 anos e 6 meses de prisão na Espanha

Ex-jogador da seleção brasileira está preso preventivamente em Barcelona desde 2023

• Atualizado

Redação

Por Redação

Foto: SBT News/Reprodução
Foto: SBT News/Reprodução

Por: SBT News

O ex-jogador da seleção brasileira Daniel Alves foi condenado, nesta quinta-feira (22), a 4 anos e 6 meses de prisão por estuprar uma mulher na boate Sutton, em Barcelona, em 2022. A sentença, divulgada pelo jornal catalão “La Vanguardia”, ocorre cerca de duas semanas após o término do julgamento, realizado entre os dias 5 e 7 de fevereiro.

O Tribunal de Barcelona levou em consideração as evidências e os depoimentos do julgamento, que provaram o abuso.

“O acusado agarrou grosseiramente a vítima, atirou-a ao chão e, impedindo-a de se mexer, penetrou-a vaginalmente, apesar de a vítima ter dito que não, que queria sair. Isso preenche a ausência de consentimento”, disse a Corte.

Também foi imposto a Daniel Alves um período de cinco anos em liberdade vigiada, que deverá ser cumprido depois da pena na prisão.

O jogador ainda deve pagar uma indenização de 150 mil euros por danos morais e físicos e arcar com as custas do processo.

A pena, no entanto, está longe dos 9 anos de prisão solicitados pelo Ministério Público.

Segundo o tribunal, foi aplicada ao jogador uma atenuante da reparação do dano, considerando que “antes do julgamento a defesa pagou na conta do tribunal a quantia de 150 mil euros para que pudesse ser entregue à vítima independentemente do resultado do julgamento, o que expressa vontade de reparação”.

Relembre o caso

Daniel Alves foi preso preventivamente em Barcelona no dia 20 de janeiro de 2023, acusado de ter estuprado uma jovem de 23 anos na boate de luxo Sutton.

Na denúncia, a vítima afirmou que, na noite dos fatos, estava na área VIP da casa noturna com amigas e que o jogador a conduziu a um segundo local, alegando ser outra área VIP. No entanto, ela foi trancada em um banheiro, onde foi agredida e abusada pelo atleta.

Desde o ocorrido, Daniel Alves apresentou cinco versões distintas sobre o incidente, sendo de forma oficial a Justiça ou não, negando o crime em todas elas:

Primeira versão

Inicialmente, o jogador declarou publicamente não conhecer a vítima. Ele chegou a dar uma entrevista à uma emissora de televisão afirmando que nunca desrespeitaria o espaço de uma mulher e chegou a publicar um vídeo em suas redes sociais afirmando não conhecer a moça.

Segunda versão

Em janeiro de 2023, Daniel mudou a versão, onde portais da Espanha noticiaram que o brasileiro admitiu à Justiça ter encontrado a mulher no banheiro, mas alegando que não havia feito nada, apenas ter ficado sem reação.

Terceira versão

A terceira versão, apresentada pela defesa em fevereiro do mesmo ano, afirmava que houve relação sexual oral, alegadamente consensual.

Essa declaração foi feita quando a defesa entrou com recurso pela liberdade do jogador. Em informações do jornal El País, da Espanha, a mulher teria ido em direção a ele “se jogando”, e ele não teria feito nada.

Quarta versão

Em abril do mesmo ano, em novo depoimento oficial, Daniel Alves confirmou a relação sexual com penetração, mantendo a alegação de consentimento.

Quinta versão

A última versão, apresentada pela advogada durante o julgamento, alega que o jogador estava embriagado e sem plena consciência do que fazia. Essa versão deve ser usada por Daniel Alves como última versão no julgamento.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×