Cotidiano Compartilhar
luto

Eduardo Guardia, ex-ministro da Fazenda, morre aos 56 anos

Ele foi ministro do governo Michel Temer e atualmente era CEO da BTG Pactual Asset

Por

• Atualizado

Eduardo Guardia foi ministro do governo Temer | Fernando Frazão/Agência Brasil
Eduardo Guardia foi ministro do governo Temer | Fernando Frazão/Agência Brasil

O economista Eduardo Guardia, ex-ministro da Fazenda e CEO da BTG Pactual Asset, morreu nesta segunda-feira (11), aos 56 anos, em São Paulo. A causa da morte não foi divulgada.

Guardia estava na empresa desde 19 de janeiro de 2019, e ocupou o cargo de ministro da Fazenda durante os últimos nove meses do governo Michel Temer. Durante a carreira no setor privado, ele foi diretor de produtos e relações com investidores da BM&F Bovespa, diretor-executivo da B3 e diretor-financeiro e de relações com investidores da GP Investments.

A Bolsa de Valores de São Paulo lamentou a morte do economista e prestou solidariedade à família.

“A B3 se despede de um líder que instilou os melhores valores, que foi exemplo e nos ajudou a construir a empresa que somos. Hoje, muitos de nós também perdemos um amigo, um grande amigo. Nosso país se despede de um homem público que trabalhou e acreditou sempre, em diferentes momentos de sua vida, que nosso papel como cidadãos é tomar as decisões que fazem o Brasil melhor. Eduardo Guardia fará falta.”

A Instituição Fiscal Independente (IFI) também prestou homenagem a Eduardo: “Guardia serviu ao país, nos diversos cargos que ocupou, de maneira sóbria, técnica e com espírito público”.

Temer disse que Guardia “emprestava aos números uma visão humanitária rara” e que isso causou nele “uma admiração crescente”. Para o ex-presidente, seu ministro era “um ótimo economista, um ser humano formdiável” e “um bom e leal amigo”.

“Desenvolvemos uma relação de confiança mútua: ele entendia minhas preocupações sociais como presidente da República e eu recebia suas propostas com a certeza de que traduziam essa relação perfeita entre a boa técnica e a empatia social”, afirmou.

Em nota, o Ministério da Economia e o ministro Paulo Guedes lamentaram a morte. Guedes relembrou a capacidade de diálogo de Guardia e a troca de informações durante a transição do governo.

Leia a íntegra da nota:

“O Ministério da Economia recebeu com pesar e tristeza a notícia do falecimento do economista Eduardo Refinetti Guardia, que ocupou o cargo de ministro da Fazenda do Brasil em 2018. Guardia também foi secretário-executivo da antiga pasta entre 2016 e 2018, e secretário do Tesouro Nacional no início dos anos 2000, entre outros cargos na estrutura do ministério. Durante sua trajetória pública, a atuação de Guardia foi fundamental na construção de soluções importantes para a economia brasileira. O ex-ministro sempre se notabilizou pelo trabalho incansável, a gentileza no trato e o permanente espírito público, inspirando todas as equipes que liderou. O ministro Paulo Guedes relembrou a capacidade de diálogo de Guardia, que contribuiu de forma relevante para a troca de informações institucionais no período de transição de governo. Neste momento de dor, o ministro Guedes e os servidores do ministério da Economia manifestam respeito e solidariedade aos familiares e amigos de Eduardo Guardia.”

>> Siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook. 

publicidade
publicidade

Veja mais