Terça-feira, 13 de abril de 2021.
Coronavírus compartilhar compartilhar

“Sem conscientização, teremos que escolher quem vive”, lamenta médico de Chapecó

Em meio aos plantões e as rotinas exaustivas de quem está cuidando da população catarinense na linha de frente, os médicos pedem cautela.


De Rafaella Moraes
Data de Publicação: 25/02/2021 16:53
Foto: Prefeitura de Chapecó / Vídeo / Reprodução.

A carga pesada que os profissionais de saúde estão enfrentando desde o começo da pandemia do novo coronavírus, há cerca de um ano, tem se tornado cada vez mais intensa e faz com que os médicos catarinenses comecem a temer o momento em que terão que escolher quem vive ou quem morre. Durante a coletiva de imprensa da Unimed de Chapecó, realizada nesta quinta-feira (25), o médico Rovani Camargo deixou bem clara a preocupação:

“Sem conscientização, teremos que escolher quem vive”, lamentou o Dr. Rovani.

No Hospital Unimed de Chapecó, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 93 pacientes estão internados, 29 em leitos de UTI e 55 em enfermaria. De acordo com o Dr. Mário Goto, 11 de seus pacientes precisam ser internados em leitos de UTI, no entanto não há vagas. “Estamos procurando vagas no Brasil todo, não só no Sul”, explica ele.

Médicos pedem cautela

Em meio aos plantões e as rotinas exaustivas de quem está cuidando da população catarinense na linha de frente, os médicos pedem cautela. “Tem gente que ainda acha que é algo politizado, exagerado. Queria que vissem a UTI Covid, o grau de estresse e a complexidade”, explica Dr. Rovani Camargo, que garante não ter fórmula mágica para conter a pandemia e que a principal esperança está na vacinação.

Materiais para atendimento

Em relação os insumos hospitalares, ainda há um respiro. “Ainda estamos em uma situação que a nossa reserva nos permite trabalhar”, garante Dr. Goto. Ele relembra que outras doenças continuam existindo e pede cuidado e atenção redobrada para que não hajam acidentes, pois não há lugar para atendimento.

“Não é dinheiro. Não adianta vir com uma maleta de um milhão de reais para tentar conseguir leito, não tem”, finaliza Dr. Rovani Camargo.

Entrevista coletiva

A diretoria da Unimed Chapecó explica medidas de emergência adotadas em virtude da pandemia

Posted by Unimed Chapecó on Thursday, February 25, 2021

Protocolo de emergência e desastre

A Unimed Chapecó publicou um comunicado nas redes sociais, na noite de quarta-feira (24), informando à população que atingiu o limite de atendimento. Com isso, passa a trabalhar sob o Protocolo de Emergência e Desastre, num sistema de Gestão composto por um Comitê de Gerenciamento de Crise e por um Grupo de Operação, que se baseia nos planos, programas e fluxos desenvolvidos e estruturados para atender, cenários de crise. A partir de então, passa a atender aos pacientes em dois pronto atendimentos, para qualquer situação.


Leia também:

>> “Agora a ordem é só uma: ninguém pode morrer”, declara prefeito de Chapecó

>> Ministério da Saúde libera 18 profissionais para Chapecó e Centro de Eventos terá 30 leitos

>> Pessoas mais jovens estão apresentando quadros graves da Covid-19


>> Para receber as informações mais importantes do dia pelo WhatsApp, gratuitamente, basta clicar AQUI!

>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK.

Continua depois da publicidade

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desse site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Resposta em linha
Ver todos os comentários
Botão Topo Botão Topo
fale conosco
siga-nos
© Copyright 2020 SCC - Sistema Catarinense de Comunicações.