Cotidiano Compartilhar
Dicas

Passo a passo: aprenda montar uma composteira em casa

Ela ocupa pouco espaço, não tem cheiro, não atrai insetos e pode ser mantida até em apartamento.

Por

• Atualizado

Foto: Epagri
Foto: Epagri

A composteira doméstica é uma solução sustentável, simples e barata para dar destino correto aos resíduos orgânicos da cozinha. Esse lixo representa a metade dos resíduos gerados pelas residências e, com uma mãozinha, pode ser transformado em um poderoso adubo para hortas e jardins.

A extensionista rural da Epagri Renata Murara Vieira ensina a construir uma composteira doméstica usando baldes plásticos. Ela ocupa pouco espaço, não tem cheiro, não atrai insetos e pode ser mantida até em apartamento.

Furos nas laterais superiores dos baldes 1 e 2 permitem a circulação de ar

Materiais:

– 3 baldes de plástico com tampa. Os de gordura vegetal são ótimas opções e podem ser encontrados em qualquer panificadora;

– 1 kit torneira;

– 1 furadeira ou retífica;

– 1 meia calça de nylon ou uma tela qualquer de malha bem fina;

– Minhocas

Baldes 1 e 2 devem ser furados no fundo

Como construir a composteira:

– Para entender melhor as instruções de montagem, numere os baldes de 1 a 3. Depois que a composteira estiver pronta, eles serão empilhados.

– Faça vários furos nas laterais superiores dos baldes 1 e 2 para que o ar consiga entrar e sair.

– Faça vários furos no fundo dos baldes 1 e 2.

– Faça, ainda, um recorte circular nas tampas dos baldes 2 e 3 para que o chorume escorra de um balde para o outro.

– Fixe uma meia calça ou tela entre a tampa e a boca do balde 3 para que as minhocas não caiam no chorume.

– Instale a torneira na lateral do balde 3, próxima ao fundo. É por ela que será coletado o chorume.

Corte a tampa do balde 3 em círculo e fixe uma meia calça ou tela fina

O que colocar na composteira: Restos de frutas e verduras, borra de café com o papel-filtro, restos de pães (umedecer antes), galhos finos, folhas, flores de jardins e grama cortada, cascas de ovo, de preferência moídas, papelão do rolo de papel higiênico, guardanapos usados, sem resíduos de carne, sabugo de milho em pedaços (ajuda a oxigenar o meio).

O que não colocar na composteira: Resíduos de carne, restos de queijo, fezes de cachorro, papel higiênico.

Evite colocar na composteira: Cascas de frutas cítricas, folhas de jornal coloridas, alimentos temperados com sal ou açúcar.

Coloque na composteira resíduos orgânicos da cozinha e matéria seca, como restos de jardim

Como usar e abastecer a composteira:

Balde 1: recebe resíduos orgânicos e restos de jardim, matéria seca

Balde 2: composto sólido

Balde 3: composto líquido

Empilhe os baldes na ordem numérica, com o número 1 no topo. Os baldes 1 e 2 trocam de posições ao longo do processo e o 3 fica sempre fixo na base.

No balde 1, coloque as minhocas, juntamente com o substrato em que elas estão envoltas. Esse procedimento protege as minhocas do contato direto com alimentos que ainda não estão em fase de decomposição, criando um ambiente confortável para elas.

Em seguida, coloque no balde 1 os resíduos orgânicos da cozinha (que são ricos em nitrogênio) e adicione uma camada de material vegetal seco (que são ricos em carbono), como grama cortada e folhas secas. As camadas de diferentes materiais garantem uma boa relação carbono/nitrogênio. Uma boa proporção é um volume de três partes de materiais ricos em carbono para uma parte de materiais ricos em nitrogênio. Esses dois materiais serão adicionados aos poucos, até encher o balde 1. A composteira deve ser abastecida diariamente ou a cada dois dias.

Quando o balde 1 estiver cheio, ele troca de lugar com o balde 2, que estará vazio (depois que o adubo for retirado), pronto para começar o mesmo procedimento que foi feito no balde 1. Apesar de as minhocas se deslocarem de um balde para outro pelos orifícios, nesse momento é recomendado colocá-las no balde de cima com um pouco de substrato.

A composteira doméstica deve ficar em um lugar arejado, protegido da chuva e do sol.

O chorume do balde 3 é retirado pela torneira

Como usar o adubo e o chorume:

O conteúdo formado nos baldes 1 e 2, depois da completa decomposição, é um adubo natural que pode ser usado em jardins e hortas. O tempo para os resíduos orgânicos de cozinha serem transformados em composto varia de 45 a 60 dias. Esse prazo depende do tipo e da quantidade de resíduos utilizados, da quantidade de minhocas, da temperatura, da umidade, etc.

Uma maneira simples de verificar se o composto está pronto para ser usado é observar se o conteúdo se tornou uma massa uniforme, sem cheiro, e sem que nenhum resíduo de alimento consiga ser identificado. Esse composto pode ser aplicado no solo, como adubo.

Enquanto os restos de matéria orgânica se decompõem, um líquido escuro vai sendo armazenado no balde 3. Esse líquido é o chorume, um poderoso fertilizante natural para as plantas, que é retirado pela torneira do balde 3.

O chorume pode ser utilizado diretamente no solo, em fruteiras e canteiros de hortas. Deve ser diluído em água (1 medida de chorume para 10 de água). Pode ser aplicado semanalmente ou quinzenalmente.

publicidade
publicidade

Veja mais