Cotidiano
templates/template-single-article-texto
block/article/header
Cotidiano Compartilhar
saudável e nutritiva

Depois da água, chá é a bebida mais consumida no mundo

Pesquisa da ONU mostra que 13 milhões de pessoas são beneficiadas com a produção da bebida

block/article/social-network
block/article/content__sidebar
Depois da água, chá é a bebida mais consumida no mundo
Países que mais cultivam e exportam as folhas de chá são China, Índia e Quênia | Unsplah

Levantamentos realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) mostram que o chá é a bebida mais consumida no mundo, depois da água. Segundo a entidade, a bebida milenar apoia a economia de milhões de países subdesenvolvidos, sendo grande parte vinda da agricultura familiar. 

No total, 13 milhões de pessoas tiram o sustento da produção da folha do chá, com 60% da produção mundial correspondendo a pequenos agricultores. Os países que mais cultivam e exportam as folhas destinadas à bebida são China, Índia e Quênia. 

Além de ser uma bebida saudável e nutritiva, o chá mantém um ritual de cultivo que alterou gerações de povos e modificou a cultura de vários países. Entre as nações que mais consomem a bebida estão Índia, Sri Lanka, Turquia, Marrocos, Reino Unido e Paquistão.

Segundo a ONU, a cadeia produtiva da bebida também é lucrativa e movimenta mais de US$17 milhões por ano. O número da produção global do chá preto, por exemplo, tende a aumentar para 2,2% ao ano durante a próxima década e pode chegar a 4,4 milhões de toneladas em 2027. 

O estudo demonstra ainda que, com a pandemia da covid-19, o chá foi um importante aliado da população e houve um aumento considerável no consumo durante o período. 

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Entre no grupo do SCC10 e receba as principais notícias da sua região pelo WhatsApp

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp

block/article/query-columnist
publicidade
publicidade
block/article/social-network
block/general/block-plus-news

Veja mais