Cultura Compartilhar
Cultura

Morre Sergio Rouanet, diplomata que deu nome à lei de incentivo à cultura

Imortal das letras, Rouanet foi ensaísta, tradutor, diplomata, antropólogo e filósofo

Por

• Atualizado

Rouanet também foi diplomata, filósofo, tradutor, professor universitário e antropólogo | Reprodução
Rouanet também foi diplomata, filósofo, tradutor, professor universitário e antropólogo | Reprodução

Sergio Paulo Rouanet morreu neste domingo (3), no Rio de Janeiro, aos 88 anos de idade. O intelectual ocupava a cadeira 13 da Academia Brasileira de Letras, e era sucessor de Francisco de Assis Barbosa. A famosa Lei Rouanet, a Lei de Incentivo à Cultura (LIC) foi batizada em homenagem a ele.

Além de escritor, Rouanet também foi diplomata, filósofo, tradutor, professor universitário e antropólogo. Nascido no Rio de Janeiro em 1934, estudou ciência política e economia na USP. Rouanet serviu como secretário de cultura durante o governo Fernando Collor de Melo.

Rouanet cumpriu também o papel de tradutor, no Brasil, do filósofo alemão Walter Benjamin, feito que lhe rendeu a Medalha Goethe — uma condecoração conferida pelo instituto cultural alemão — pela difusão da cultura germânica.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

publicidade
publicidade

Veja mais