Cotidiano
templates/template-single-article-texto
block/article/header
Cotidiano Compartilhar
tudo isso

87% dos negros dizem que são tratados de forma injusta, diz pesquisa

Levantamento é o do DataRaça, novo instituto de pesquisa dedicado à consciência racial

block/article/social-network
block/article/content__sidebar
87% dos negros dizem que são tratados de forma injusta, diz pesquisa
84% dos entrevistados afirmam que negros têm mais dificuldade em arrumar emprego do que brancos |Tomaz Silva/Agência Brasil

Em pesquisa com a população preta brasileira, 65% dos entrevistados afirmam ter orgulho de suas origens. No entanto, 87% consideram que são tratados de maneira injusta. É o que revela levantamento do DataRaça, instituto criado com o objetivo de ajudar no combate ao racismo estrutural e na construção de consciência racial dentro das empresas. 

Neste 13 de maio, dia em que se celebra a Abolição da Escravatura, o estudo chama atenção para outro dado preocupante: 84% dos entrevistados afirmam que negros têm mais dificuldade em arrumar emprego do que brancos. “São impedimentos do dia a dia que trazem uma coisa absurda, que a gente tem que concordar que existe um preconceito enorme nesse país chamado no Brasil. É isso que a gente está tentando entender, que preconceito é esse, qual o tamanho desse preconceito”, ressalta André Torretta, um dos criadores do DataRaça.

Segundo ele, o instituto nasceu com a premissa de realizar pesquisas de pessoas negras para pessoas negras. “Sempre teve no Brasil institutos de pesquisa capitaneados por pessoas brancas. Pessoas brancas tentando entender os negros”, diz. Esta é a primeira pesquisa da série “Impedimentos do dia-a-dia”. De caráter exploratório, ela foi feita em fevereiro deste ano, com mil questionários estruturados com entrevistados em todo o país.

Sob a liderança de Torretta e Maurício Pestana, a nova empresa vai se dedicar à construção de relações antirracistas no ambiente corporativo com a difusão de atitudes, serviços e produtos que abracem a diversidade racial sob o ponto de vista do negro. 

“Hoje na verdade a gente está vivendo um tempo de transformação, tem um grande distritos de mudança nesses tempos de mudança, está todo mundo aprendendo, as empresas estão aprendendo,nós estamos aprendendo e é nessa tentativa de erro e acerto que estamos tentando fazer o DataRaça ajudar as empresas a compreender isso no novo mundo”, diz.

Pestana é ativista da questão racial há décadas e autor do livro “A empresa Antirracista”, no qual discute como o meio empresarial pode promover diversidade. Torretta é consultor especializado em classes populares, questões socioeconômicas e regionais no Brasil. “Queremos ajudar as empresas a entender esse novo Brasil de modo mais consciente e esses 400 anos de história que nós vivemos. Tentar ajudar essas empresas a compreender, respeitar, trabalhar e vender mais”, conclui Torretta.

>>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK

Entre no grupo do SCC10 e receba as principais notícias da sua região pelo WhatsApp

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp

block/article/query-columnist
publicidade
publicidade
block/article/social-network
block/general/block-plus-news

Veja mais