Segurança Compartilhar
De novo!

Vereador Mauricinho Soares é preso pela segunda vez em Joinville

Ele é um dos alvos da operação Profusão, que apura um esquema de liberação de carteiras nacionais de habilitação suspensas

• Atualizado

Olga Helena de Paula

Por Olga Helena de Paula

Foto: Câmara de Vereadores de Joinville.
Foto: Câmara de Vereadores de Joinville.

Na tarde desta sexta-feira (08), o vereador Mauricinho Soares (MDB) foi detido pela Polícia Civil em frente a Câmara Municipal de Joinville. Esta é a segunda prisão do político em menos de 10 dias. Ele é um dos alvos da Operação Profusão, que apura um esquema de liberação de carteiras nacionais de habilitação suspensas.

Primeira prisão

Na última quinta-feira (30), o vereador foi detido por posse ilegal de arma de fogo. De acordo com o próprio vereador, a apreensão da arma ocorreu durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na casa do político. O revólver calibre 38 não estava registrado no nome de Mauricinho, por isso ele foi preso. Segundo a Câmara de Vereadores, ele passou por audiência de custódia, pagou a fiança, foi liberado e retomou as atividades parlamentares naquele mesmo dia 30.

Na tribuna, durante a sessão do dia 05, ele disse que a arma era de um amigo que já morreu e que precisa defender sua família. Veja.

Operação Profusão

De acordo com a Polícia Civil, na tarde desta sexta-feira (08), ocorreu a segunda fase da operação Profusão, onde foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva. A primeira fase aconteceu no dia 30 de novembro, quando foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, dois de prisão e duas ordens de suspensão do exercício de atividade econômica, nas cidades de Joinville e Araquari, em Santa Catarina.

As diligências desta sexta ocorrem após a descoberta de novos elementos que comprovam a ação do grupo criminoso. Eles são responsáveis pelos crimes de falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistema de informações e organização criminosa. Os investigados são agentes públicos em conluio com intermediadores particulares.

De acordo com o relatório divulgado pela PC, o vereador foi preso na área externa da Câmara de Vereadores de Joinville e encaminhado à sede da 3ª DECOR para o prosseguimento nos procedimentos de Polícia Judiciária.

O que diz a Câmara:

Em nota, a instituição pública confirmou a prisão do vereador, mas relatou desconhecer as razões da detenção. Leia a nota completa:

No final da tarde de hoje (08/12) a Polícia Civil esteve na Câmara de Vereadores de Joinville onde realizou uma diligência, e o vereador Mauricinho Soares foi preso preventivamente. Ele foi detido no lado externo do prédio antes de acessar o espaço.

O poder Legislativo de Joinville não tem conhecimento específico sobre as razões da detenção.

A Câmara se reserva, neste caso, do direito a se pronunciar oficialmente em momento oportuno, apenas quando tiver total conhecimento da situação.

Pedimos, então, que as dúvidas sejam direcionadas aos órgãos de segurança para mais esclarecimentos.

Denúncia contra Mauricinho Soares na Câmara

O vereador Diego Machado (PSDB), denunciou Mauricinho Soares pela falta de ética e de decoro em virtude da acusação de participação no suposto esquema de liberação de carteiras nacionais de habilitação suspensas. O parlamentar poderá ser advertido ou suspenso temporariamente do mandato, ao fim do processo. A cassação dependeria da abertura de uma Comissão Processante. Mauricinho Soares terá 10 dias corridos para apresentar defesa. O conselho, por sua vez, tem 180 dias corridos para finalizar os trabalhos.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×