Segurança Compartilhar
Combate ao crime

Polícia Civil de SC deflagra operação para combater a crimes contra dignidade sexual

Operação ocorreu em quatro bairros da cidade

Por

• Atualizado

Foto: Polícia Civil/Divulgação
Foto: Polícia Civil/Divulgação

Na manhã desta quinta-feira (28), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da DPCAMI de Joinville, e com apoio da Polícia Militar, deflagrou a operação contra dignidade sexual. As investigações ocorrem em quatro bairros da cidade.

Segundo a Polícia Civil, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão domiciliar e dois mandados de prisão preventiva nos bairros Atiradores, Comasa, Jardim Paraíso e Paranaguamirim.

Entenda cada um dos casos

No bairro Comasa, o mandado de busca e apreensão ocorreu na residência de um homem de 49 anos investigado pela prática dos crimes de violência psicológica contra a mulher, ameaça, perseguição, importunação sexual e assédio sexual.

O homem, que é professor de uma faculdade em Joinville, teria cometido os delitos contra algumas de suas alunas. O celular do suspeito foi apreendido. Além da medida de busca e apreensão, foram decretadas a proibição do investigado de se aproximar e de fazer contato com as vítimas e testemunhas da investigação, bem como o afastamento do exercício da função por ele exercida na faculdade em que leciona.

Já no bairro Jardim Paraíso, um homem de 36 anos foi preso por estupro de vulnerável. Na residência do suspeito foram apreendidos dois aparelhos de telefone celular. No bairro Atiradores, outro homem foi preso por ameaça, estupro, divulgação de cena de estupro ou de cena de estupro de vulnerável, de cena de sexo ou de pornografia e de tortura. O suspeito já é réu em ação penal pelos crimes citados.

Por fim, no bairro Paranaguamirim, foi cumprido o mandado de prisão expedido contra um idoso de 62 anos suspeito de cometer estupro contra uma criança, que seria sua própria filha.

Veja a reportagem

>>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK.

publicidade
publicidade

Veja mais