Segurança Compartilhar
Tragédia

Pai e filhos que morreram em incêndio são identificados

A sobrinha da vítima contou que o homem era um excelente pai e uma pessoa trabalhadora.

Por

• Atualizado

Foto: Arquivo Pessoal | Cedido
Foto: Arquivo Pessoal | Cedido

A família do homem que morreu com os dois filhos gêmeos em um incêndio na noite da última terça-feira (11), em Florianópolis, lamentou a perda dos familiares nas redes sociais. O incêndio que destruiu completamente a casa de madeira matou Alessio Savio Cognaco, de 56 anos, e seus dois filhos, gêmeos, Bruno e Lucas, de apenas 7 anos.

Amanda Martini, sobrinha de Alessio, contou para a reportagem do SCC10 que o tio era um excelente pai e uma pessoa trabalhadora. “Meu tio sempre foi uma ótima pessoa, trabalhou a vida inteira para dar o melhor para a família dele” conta Amanda.

>> Incêndio mata pai e filhos gêmeos, em Florianópolis

“Sempre deu o melhor pelos filhos” afirma Amanda.

A sobrinha explica que a família foi abalada pela morte da tia, esposa de Aléssio, e irmã da mãe de Amanda, há um ano.

Ela conta que a família sempre foi muito unida. “Todos nós estávamos sempre juntos, um ajudando o outro” ressalta.

“Sempre foi um guerreiro e não deixou nunca faltar para a família dele, um ótimo pai, um ótimo tio, irmão e cunhado”

conta amanda.

>> Imagens mostram cenário de destruição após incêndio que matou pai e filhos em Florianópolis

A família se posicionou nas redes sociais após boatos que diziam que Alessio tinha depressão e teria colocado fogo na casa. A sobrinha nega essa informação e afirma que, segundo relatos dos bombeiros que atenderam a ocorrência, os três foram encontrados na cozinha da casa, juntos. “Acreditamos que ele tentou fazer de tudo para tirar as crianças da casa” ressalta.

Segundo Amanda, os familiares ainda estão muito abalados com a tragédia. “Minha mãe e ninguém da família está em condições de lidar e falar sobre esse assunto terrível” conta.

Um inquérito foi instaurado para investigar o incêndio. A Delegacia de Polícia do Continente está responsável pelo caso. O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina deve elaborar um laudo sobre o incêndio, entregue em cerca de 30 dias.

>> Siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

publicidade
publicidade

Veja mais