Segurança Compartilhar
Investigação

Bebê que teve cabeça cortada durante parto em Joinville retorna ao hospital após convulsões

Segundo a advogada da família, Stephanie Corazza, os médicos estão analisando a necessidade de realizar um novo procedimento cirúrgico na criança

• Atualizado

Redação

Por Redação

Foto: Pexels | Banco de Imagens
Foto: Pexels | Banco de Imagens

A criança que sofreu um corte na cabeça durante o parto na Maternidade Darcy Vargas, em Joinville, precisou ser internado no Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria, nesta semana, após ter convulsões. A informação foi confirmada pela advogada da família, Stephanie Corazza.

Nesta terça-feira (05), a advogada informou também que devido a situação, os médicos estão analisando a necessidade de realizar um novo procedimento cirúrgico na criança. O Portal SCC10 entrou em contato com a Secretaria de Estado da Saúde, que relatou que uma sindicância foi instaurada para apurar o caso.

A direção da Maternidade Darcy Vargas informa que logo após a intercorrência foi instaurado procedimento de sindicância pela Corregedoria da Saúde. Foi nomeada uma comissão responsável por apurar possíveis responsabilidades do fato. O relatório está sendo construído dentro dos prazos legais.

Entenda o caso

Em julho deste ano, a criança precisou passar por uma cirurgia de emergência, no mesmo hospital, onde ficou internado depois de contrair uma infecção que teria sido causada pelo ferimento. Na época, o bebê saiu da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi transferido para o quarto após uma melhora no quadro de saúde.

De acordo com a advogada da família, Stephanie Corazza, “no momento do parto a médica viu o ferimento, não deixou a mãe segurar a criança e já levou para outra sala e chamou o pai.” Segundo a mãe, a médica disse que o útero dela estava duro e precisou fazer mais força. A mãe estava com pressão alta e foi necessário realizar uma cesárea.

Depois, enquanto ainda estava anestesiada a médica informou que ocorreu um corte superficial no bebê e encaminhariam para sutura. Quando mãe, que é soropositiva, recebeu a criança, ela já estava com os dois pontos na cabeça.

As duas receberam alta, mesmo com o corte na cabeça da criança e um líquido vazando do ferimento, e se deslocaram ao posto de saúde, onde os médicos recomendaram uma pomada. Cinco dias após o incidente, elas retornaram ao posto de saúde local, onde foi requisitado uma cirurgia de emergência.

Investigação

De acordo com o delegado Rodrigo Maciel da Polícia Civil de Joinville, o caso chegou ao conhecimento da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) em 31 de julho. Na ocasião, foi aberto um inquérito para apurar a lesão corporal grave ou gravíssima, que pode ter ocorrido por erro.

Segundo ele, já foi requisitada a documentação produzida no atendimento ao bebê. Esses arquivos serão analisados e as intimações dos profissionais de medicina que atuaram no caso serão emitidas. A perícia técnica também foi acionada.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Quer receber notícias no seu whatsapp?

EU QUERO

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Receba NOTÍCIAS
Posso Ajudar? ×