Bem-Viver Compartilhar
Alerta

Febre Amarela: casos suspeitos em Lages estão sendo monitorados pelo município

No final de dezembro um primata foi encontrado sem vida na localidade de Lambedor e nesta semana um bugio foi localizado morto em Cadeados.

Por

• Atualizado

Imagem Ilustrativa. Foto: Pixabay / Banco de Imagens.
Imagem Ilustrativa. Foto: Pixabay / Banco de Imagens.

A Secretaria Municipal da Saúde de Lages está verificando um caso de epizootia (morte de macaco), na localidade de Cadeados, a cerca de 21 quilômetros do Centro de Lages. Nessa quinta-feira (4) a equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) esteve no local, mas devido ao avançado estado de decomposição do bugio, não foi possível coletar amostras que seriam encaminhadas ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), em Florianópolis, para investigar se a morte do animal tem relação com a Febre Amarela.

Além desse caso mais recente, o Município vem monitorando outra suspeita da doença em um macaco encontrado morto na localidade de Lambedor. A análise inicial das amostras desse primata, teve resultado não detectável. O Lacen está providenciando uma segunda verificação de outras amostras do mesmo animal, para elucidar o caso. “Os macacos sinalizam a circulação do vírus da Febre Amarela porque vivem no mesmo ambiente que o mosquito transmissor da doença e geralmente são os primeiros a ficar doentes”, explica a gerente da Vigilância Epidemiológica, Sumaya Pucci.

Nas duas situações, a Secretaria Municipal da Saúde está promovendo ações de vacinação contra a Febre Amarela aos moradores das localidades do interior, onde os macacos foram encontrados mortos. Quando um primata é encontrado morto em alguma região, esse é um procedimento que segue protocolo do Ministério da Saúde (MS), chamado de bloqueio vacinal.

Importância da vacinação contra a febre amarela

Desde julho de 2018, Santa Catarina é área com recomendação de vacina. Todas as pessoas acima dos 9 meses de idade devem ser imunizadas contra a Febre Amarela. A contraindicação é para quem tenha alergia ao ovo ou esteja fazendo uso de medicações, como antibiótico ou antialérgico, pacientes em tratamento oncológico, portadores de doenças autoimunes ou com comorbidades.

Já as pessoas com 60 anos ou mais, transplantados, portadores de HIV, gestantes e mulheres que estejam amamentando deverão apresentar solicitação médica para serem vacinados. Em Lages, as doses do imunizante contra a Febre Amarela podem ser encontradas na sede da Vigilância Epidemiológica e nas salas de vacina.

Canais de comunicação

Quando alguém se depara com macacos mortos ou doentes no perímetro urbano de Lages a orientação é comunicar imediatamente o Centro de Controle de Zoonoses, pelo telefone 3251- 7975. Outra opção é baixar o aplicativo SISS-Geo na plataforma Play Store, de onde é possível enviar fotos do animal e marcar a localização que ele foi encontrado. As informações chegam instantaneamente até os órgãos de saúde.

Febre Amarela em SC

As novas notificações de macacos encontrados mortos acendem um alerta, porque comprovam que o vírus continua circulando pelos chamados corredores ecológicos de Santa Catarina. Entre julho de 2020 a janeiro deste ano, foram confirmadas 13 epizootias por Febre Amarela nas Regiões de Saúde de Xanxerê, Norte, Alto Vale do Itajaí e Serra Catarinense. Também foram notificados 37 casos humanos suspeitos de Febre Amarela, sendo confirmado até o momento, um caso de uma mulher de 40 anos moradora do município de Taió.

>> Para receber as informações mais importantes do dia pelo WhatsApp, gratuitamente, basta clicar AQUI!

>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK.

publicidade
publicidade

Veja mais