Arquitetura
templates/template-single-article-texto
block/single-columnist/block-header

Cinthia Massa

Arquiteta e design de interiores com formação na Unisul, UFV em Madrid e Instituto Marangoni em Milão, sócia-proprietária do Studio PB3

block/article/header
Arquitetura Compartilhar
Cinthia Massa

Cinco conselhos de arquitetura do que NÃO fazer em uma cozinha

Dicas que aconselho a meus clientes para não utilizarem em reformas de cozinha

block/article/social-network
block/article/content__sidebar
Cinco conselhos de arquitetura do que NÃO fazer em uma cozinha
Foto: Projeto Autoral

O cômodo que traz mais transtornos para reformar, na minha opinião, é a cozinha. Para muitos, ela é o coração da casa. Além de servir para refeições e preparo do alimento, é também espaço de permanência e até para receber família e amigos.

Quando chega o momento da reforma, é muito importante ter um profissional ao seu lado. Além de planejar e acompanhar a obra para sair dentro do cronograma, um arquiteto vai especificar tudo e pensar em cada detalhe de funcionalidade para evitar prejuízos financeiros e o projeto ficar com a personalidade do cliente. Prazos e fornecedores devem estar alinhados para chegarmos nas expectativas iniciais.

Existem alguns pontos que eu não faria na minha cozinha e aconselho meus clientes a não fazerem também.

Veja 05 conselhos de arquitetura do que ❌ NÃO ❌ fazer em uma cozinha

1. Bancada com mármore:

Apesar de lindo, o mármore risca muito fácil, tem mais facilidade em ficar manchado e tem preço superior a pedras que trazem a mesma finalidade estética.

No lugar, o quartzo é uma ótima sugestão, tem alguns acabamentos diferentes que se aproximam do mármore e não risca e mancha com a mesma facilidade. Toda pedra, principalmente as claras, devem ter cuidados para maior durabilidade, como não colocar nada quente diretamente, cortar alimentos sempre em locais adequados para não riscar, cuidados com líquidos que possam manchar como vinho, café e produtos de limpeza.

Foto: Projeto Autoral

2. Utilizar cortinas em tecido:

Não é recomendado por absorver mais umidade e gordura do ambiente, assim, dificultando a conservação da cortina.

No lugar, aposte em persianas, sem esquecer da importância de janelas ou meios de ventilação, uma cozinha arejada aumenta a durabilidade dos móveis e diminui a manutenção.

3. Piso polido (com brilho, que reflete):

Em áreas molhadas, como banheiros e cozinha, mais escorregadio, seu brilho o deixa suscetível a riscos. Então, maior cuidado na limpeza, apenas com panos úmidos e produtos neutros. Além da sujeira que acaba ficando mais visível.

Se a proposta for cerâmico ou porcelanato, opte pelo acetinado, mais “fosco”, menos escorregadio, não aparece tanto sujeira e riscos, além de trazer um toque aconchegante e não cansar tanto visualmente.

Foto: Projeto Autoral

4. Não pensar em detalhes como escorredor e filtro de água:

Mesmo não sendo protagonistas na cozinha, é muito provável que deixem mais poluída visualmente e tirem espaço útil na bancada.

Para o filtro é interessante já prever em projeto junto a algum móvel de marcenaria, e o escorredor, minha solução preferida é a calha úmida, acoplada ao lado ou atrás da cuba, é ligado ao encanamento da pia, então nada de sujeira e tudo no seu lugar.

Foto: Projeto Autoral

5. Não procurar um profissional:

Sempre procure um profissional, reformas podem trazer dor de cabeça e gastos extras e um arquiteto pode te ajudar!

Espero que tenha auxiliado, até a semana que vem.

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Entre no grupo do SCC10 e receba as principais notícias da sua região pelo WhatsApp

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp

block/article/query-columnist
publicidade
publicidade
block/article/social-network
block/general/block-plus-news

Veja mais