Bem-Viver Compartilhar
Saúde mental

Abuso psicológico também afeta a saúde física; saiba identificar

O abuso psicológico é um tema que vem sendo constantemente discutido. No entanto, os danos causados para a saúde física são pouco falados.

Por

• Atualizado

Imagem Ilustrativa | Foto: Freepik
Imagem Ilustrativa | Foto: Freepik

O abuso psicológico é um tema que vem sendo constantemente discutido neste ano, sendo pauta de muitas conversas. No entanto, os danos causados para a saúde física são pouco falados.

E os danos são graves, de acordo com a psicóloga Gleice Schürhaus. “O abuso psicológico pode ser considerado crime de lesão corporal. Muitas vezes a saúde física é afetada pela falta de saúde emocional”, garante Gleice.

A pessoa quando humilhada, diminuída, rejeitada, julgada excessivamente, tratada de forma ofensiva, pode desencadear sintomas de depressão, crise de ansiedade, crise de pânico, transtornos alimentares e transtornos do sono. “É uma necessidade do ser humano ser amado, ser aceito e fazer parte. A partir do momento que essa pessoa não recebe isso [amor e aceitação], o prejuízo emocional vai ser muito grande”, explica a psicóloga.

Como resultado, segundo a psicóloga Gleice, a pessoa costuma buscar este carinho tentando ser quem ela não é, sentindo um enorme medo de rejeição e se sujeitando a situação de abuso físico e emocional. “É importante prestar atenção. Talvez você recorra a comida, ao álcool, às compras, o trabalho excessivo, o sexo… em busca de uma solução”, diz Gleice.

Estou sofrendo abuso psicológico; e agora?

Primeiro passo é ter consciência do que está acontecendo. É importante procurar a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra. O profissional irá te indicar o tratamento adequado e, dependendo da situação, orientar que procure um advogado ou assistente social.

Os especialista irão ajudar a vítima a visualizar as situações com maior nitidez.

Será que eu sou um abusador?

Preste atenção nos sinais. Para entender se você pode estar fazendo mal para outra pessoa, é importante começar a se colocar no lugar do outro. “Seja empático, não discrimine, não julgue. Acolha as pessoas. Entenda: ela precisa ser amada, aceita e fazer parte. É uma necessidade humana”, finaliza a psicóloga.


>> Para receber as informações mais importantes do dia pelo WhatsApp, gratuitamente, basta clicar AQUI!

>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM FACEBOOK.

publicidade
publicidade

Veja mais