Política
templates/template-single-article-texto
block/article/header
Política Compartilhar
Tensão

Reunião do PT foi interrompida por Suplicy, que defendeu renda básica

O vereador, que completa 81 anos nesta terça-feira, não foi convidado para o evento

block/article/social-network
block/article/content__sidebar
Reunião do PT foi interrompida por Suplicy, que defendeu renda básica
Suplicy relembrou que a renda básica foi instituída pela Lei 10.835/2004 | Reprodução/TV PT

O vereador de São Paulo Eduardo Suplicy (PT), ex-senador da República, interrompeu o ex-ministro da Educação Aloizio Mercadante, no evento de lançamento das Diretrizes do Plano de Governo da chapa Lula-Alckmin, em São Paulo, nesta terça-feira (21), para defender a renda básica de cidadania.

Na ocasião, Mercadante agradecia pessoas presentes no evento, como juristas, economistas, representantes de centrais sindicais e lideranças religiosas, quando Suplicy se posicionou à frente de onde falava e lhe entregou um documento com a proposta para implementação do benefício. A intervenção de Suplicy, um dos fundadores do PT, foi feita no dia em que ele comemora 81 anos.

Na sequência, o vereador fez um rápido discurso. Ele relembrou que a renda básica foi instituída pela Lei 10.835/2004, de sua autoria, “aprovada por todos os partidos, sancionada pelo presidente Lula e está no programa do PT há muitos anos, todo ano”. “Eu acho que tem alguma coisa a ver comigo [a não implementação]”, completou.

Ainda no discurso, Suplicy sugeriu, em tom de indignação, que não havia sido convidado corretamente para o evento desta terça-feira e disse que continuará “trabalhando muito para que Lula e Alckmin instituem [definitivamente] a renda básica de cidadania” enquanto estiver vivo.

Em resposta ao vereador, Mercadante respondeu: “Agradeço muito a sua apresentação. Eu de fato não tive como acompanhar o convite de todas as pessoas. Só olhar o tamanho do plenário. Nem era a minha função. Em relação às propostas, hoje é o início de um processo. Você vai ter chance de discutir. Mas para entrar no programa de governo nós vamos ter que ter um debate aprofundado. Como nós recebemos 51 propostas, a sua uma delas, e vai ser discutida com a coordenação no momento oportuno”.

>>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Entre no grupo do SCC10 e receba as principais notícias da sua região pelo WhatsApp

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp

block/article/query-columnist
publicidade
publicidade
block/article/social-network
block/general/block-plus-news

Veja mais