Quinta-feira, 06 de maio de 2021.

Gustavo Maresch

[email protected]
Bacharel em Gastronomia e mestre em Turismo e Hotelaria. Atualmente é professor e coordenador de curso na área da Gastronomia no IFSC.
Colunistas compartilhar compartilhar

Queijo Serrano: conheça os Queijos Artesanais e Coloniais produzidos em Santa Catarina

Considerado um dos queijos artesanais mais antigos do Brasil, sua origem remete ao período colonial.

Data de Publicação: 11/12/2020 14:39
Queijo Serrano. Fonte: Prêmio Queijo Brasil V

O queijo Serrano é um produto especialmente produzido na região Sul do país, nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, localizados especialmente na área da Serra. Ambas as regiões fazem divisas territoriais que ao longo dos séculos foram importantes no desenvolvimento econômico das áreas de “campos”. Considerado um dos queijos artesanais mais antigos do Brasil, sua origem remete ao período colonial. Quando ainda os primeiros açorianos conseguiram desbravar a Serra, lá se depararam com a presença do gado alçado, trazidos pelos padres jesuítas, que foram se espalhando pelas áreas conhecida como “Campos de Cima da Serra” e Planalto Sul Catarinense. 

A produção em Santa Catarina está relacionada a uma região que engloba 18 municípios conforme o levantamento realizado pela Epagri. São eles: Anita Garibaldi, Cerro Negro, Campo Belo do Sul, Capão Alto, Lages, São José do Cerrito, Ponte Alta do Sul, Correia Pinto, Otacílio Costa, Palmeira, Bocaina do  Sul, Painel, São Joaquim, Bom Jardim da Serra, Urupema, Urubici, Rio Rufino e Bom Retiro.

O queijo Serrano é transmitido a mais de dois séculos através do saber-fazer das gerações, tendo um importante papel econômico, social e ambiental para a manutenção do seu território. A valorização da tradição permitiu que o produto conseguisse permanecer presente até os tempos atuais em suas origens.

Mesmo sofrendo algumas adequações em seu processo de fabricação para poder conseguir evoluir em seu desenvolvimento, o queijo manteve a sua essência  de fabricação artesanal. Atualmente o leite utilizado é misturado com vacas de origem leiteira e de corte.  A madeira é utilizada nas prateleiras para a elaboração da maturação do queijo. O processo de cura envolve 20 dias normalmente.

No dia 3 de março de 2020, o Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) publicou a concessão do reconhecimento da Indicação Geográfica (IG) concedida em nome da Federação das Associações de Produtores Artesanal Serrano de SC e RS. A IG denominada “ Campos de Cima Da Serra” é a segunda INPI para queijo, sendo a primeira a Roquefort, uma denominação de origem francesa, registrada no INPI em 2013.

O que é a indicação geográfica?

Conforme o INPI, a IG é um sinal constituído por nome geográfico (ou seu gentílico) que indica a origem geográfica de um produto ou serviço. Apenas os produtores e prestadores de serviços estabelecidos no respectivo território (geralmente organizados em entidades representativas) podem usar a IG.

A espécie de IG chamada “indicação de procedência” se refere ao nome de um país, cidade ou região conhecido como centro de extração, produção ou fabricação de determinado produto ou de prestação de determinado serviço.


Queijo Colonial: conheça os Queijos Artesanais e Coloniais produzidos em Santa Catarina

Queijinho Branco e Kochkäse: conheça os Queijos Artesanais e Coloniais produzidos em Santa Catarina

Mapa dos Queijos Tradicionais Brasileiros

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desse site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Resposta em linha
Ver todos os comentários
Veja Também
publicidade
Botão Topo Botão Topo
fale conosco
siga-nos
© Copyright 2020 SCC - Sistema Catarinense de Comunicações.