Quinta-feira, 04 de março de 2021.

Marcelo Bohrer

[email protected]
Atua em setores da Economia Criativa há mais de 10 anos. Produtor dos eventos Floripa Conecta, Smart City Fórum Floripa e o Stun Games Festival.
Colunistas compartilhar compartilhar

Os movimentos ocorrem, nos cabe vê-los e tomar decisão sobre

Os critérios preconizados pelo o ESG – ambientais, sociais e de governança – têm se expandido para muito além das análises financeiras.

Data de Publicação: 18/12/2020 14:54
e atualizado em: 18/12/2020 15:19
Foto: Pixabay

Eu concordo que o ESG ainda é novidade, se trata de um assunto praticamente desconhecido para aqueles que não tem algum envolvimento com o mercado financeiro, mas não podemos, ou melhor, não devemos negá-lo.

Dizer que o mundo esta mudando em velocidade exponencial – tipo a lei de Moore – é redundante, mas não devemos esquecer que o óbvio precisa ser sempre dito, relembrado e acima de tudo executado. Fazer, por inúmeras vezes, tem se demonstrado mais relevante do que planejar.

Entre as mudanças aceleradas e as três letrinhas que tem sido cada vez mais constantes no noticiário, movimentos consideráveis estão acontecendo aos nossos olhos e precisamos estar muito atentos.

Os critérios preconizados pelo o ESG – ambientais, sociais e de governança – têm se expandido para muito além das análises financeiras. Nota-se novas atitudes de consumo, olhares mais atentos dos clientes ao comportamento das marcas, o crítico olhar dos investidores ao impacto do lucro das empresas e suas consequências no todo.

Porém, ainda que novo no Brasil, nesta semana, o ESG ganhou mais um impulso bastante relevante. A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e a B3 (Bolsa de Valores Brasileira) anunciaram que os temas do ESG serão observados mais de perto nas empresas com capital aberto na Bolsa brasileira.

Paralelo a isto, outra iniciativa dessa movimentação é a exigência, pela B3, de ações do tema ESG como regra para as empresas cujas ações são listadas no Novo Mercado, segmento com mais alto critério de práticas de governança. Hoje são 163 empresas que fazem parte desse segmento, valor este que se compara com ~400 companhias que fazem parte da B3. Com isso, a adesão ao segmento deve ser tornar mais rígida.

De acordo com Gilson Finkelsztain, CEO da B3, “as próximas discussões sobre regras do Novo Mercado podem incluir temas como ESG”. Esse caminho é o mesmo indicado pelos mercados globais.

Impossível, neste tema, não citar a enorme cobertura que a XP Investimentos está fazendo sobre a temática ESG, a qual tem diretoria específica para dar ampla cobertura ao assunto e um time super qualificado trabalhando no ESG Research XP.

Pois bem, queridos leitores, vamos abrir nossos olhos, mentes e corações para outras possibilidades. A Pandemia revolucionou diversos negócios e conceitos. Lindos movimentos estão acontecendo para muitos lados mundo a fora. Não devemos, a meu ver, observar tudo isto inertes.

Logo, com um desejo de um lindo final de semana, olhemos os movimentos, pensemos sobre e mãos à obra.

Beijos 😉

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desse site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Resposta em linha
Ver todos os comentários
Botão Topo Botão Topo
fale conosco
siga-nos
© Copyright 2020 SCC - Sistema Catarinense de Comunicações.