Segurança
templates/template-single-article-texto
block/article/header
Segurança Compartilhar
Caiu

Sites de Americanas e Submarino caem após “acesso não autorizado”

Aviso é considerado grave e especialista recomenda troca de senhas; veja como proceder

block/article/social-network
block/article/content__sidebar
Sites de Americanas e Submarino caem após “acesso não autorizado”
Foto: Reprodução | Redes Sociais

Desde o domingo (20), os sites das Lojas Americanas e do Submarino, que pertencem ao mesmo grupo, estão fora do ar. Em aviso na página principal, a empresa afirma que houve um “acesso não autorizado”. Na tarde desta segunda-feira (21), também saiu do ar o Shoptime, também do mesmo grupo.

O especialista em proteção de dados da Privamax e pesquisador da Fiocruz Alex Rabello explica que, para o mundo de segurança cibernética, o aviso de “acesso não autorizado” é considerado grave. “Certamente os criminosos digitais devem ter explorado uma vulnerabilidade à infraestrutura do site para que assim possam coletar ou alterar dados, seja de produtos, de serviços ou dos próprios consumidores”, alerta. 

Veja os avisos publicados:

  • Sites de Americanas, Submarino e Shoptime caem após acesso não autorizado
  • Sites de Americanas, Submarino e Shoptime caem após acesso não autorizado
  • Sites de Americanas, Submarino e Shoptime caem após acesso não autorizado

Rabello ressalta que, quando o sistema reestabelecer a normalidade, é recomendado que todos os clientes acessem os sites e efetuem a alteração de senhas. Além disso, cancelar os cartões que estavam ali cadastrados.

“É prematuro ainda concluirmos que houve um vazamento de dados. O que está acontecendo nesse momento são medidas de prevenção que estão sendo tomadas para retirar o sistema do ar e evitar uma eventual exploração dos meliantes de serviços”, afirma o especialista. 

Em nota, a Americanas informou que “voltou a suspender proativamente parte dos servidores do ambiente de e-commerce na madrugada deste domingo (20) e acionou prontamente seus protocolos de resposta assim que identificou acesso não autorizado”.

“A companhia atua com recursos técnicos e especialistas para avaliar a extensão do evento e normalizar com segurança o ambiente de e-commerce o mais rápido possível. A companhia reitera que trabalha com rígidos protocolos para prevenir e mitigar riscos. As lojas físicas não tiveram suas atividades interrompidas e permanecem operando”, diz o texto. 

Segundo Rabello, independentemente do que acontecer, os clientes têm os seus direitos assegurados, seja pela Lei Geral de Proteção de Dados, seja pelo Código de Defesa do Consumidor. “As empresas são obrigadas a noticiar a verdade na mídia, então certamente os clientes podem ficar tranquilos, pois todas as medidas de prevenção e de mitigação de riscos vão ser adotadas. Visto que, se as empresas não agirem de forma correta, certamente vão sofrer as sanções cabíveis mais graves”, conclui. 

>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK.

Entre no grupo do SCC10 e receba as principais notícias da sua região pelo WhatsApp

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp

block/article/tags
block/article/query-columnist
publicidade
publicidade
block/article/social-network
block/general/block-plus-news

Veja mais