Cotidiano
templates/template-single-article-texto
block/article/header
Cotidiano Compartilhar
Golfinho

Filhotes de toninha são encontrados mortos na Praia da Joaquina, em Florianópolis

Ambas as toninhas tinham marcas no rosto, provavelmente causada pela captura acidental

block/article/social-network
block/article/content__sidebar
Filhotes de toninha são encontrados mortos na Praia da Joaquina, em Florianópolis
Foto: R3 Animal / Divulgação.

Neste domingo (11), dois filhotes de toninha (Pontoporia blainvillei) foram encontrados mortos, na Praia da Joaquina, em Florianópolis. O primeiro animal foi encontrado pela equipe de monitoramento da R3 Animal no início da manhã. O segundo, a R3 Animal recebeu acionamento, via telefone 0800 642 3341 do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), sobre a presença do golfinho morto.

Os animais foram recolhidos pela técnica de monitoramento Amanda Fernandes e o monitor Rodrigo Tiburski e levados para o Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM/R3 Animal). As duas toninhas mediam 78 centímetros e 85 centímetros de comprimento.

O resultado da necropsia realizada nos dois filhotes de toninha apontam para possível causa da morte asfixia/afogamento. Ambas as toninhas tinham marcas no rosto, provavelmente causada pela captura acidental, a chamada bycatch , mesmo não sendo alvo de pesca, os animais acabam capturados sem intenção. As carcaças serão entregues para pesquisa no Laboratório de Mamíferos Aquáticos (Lamaq/UFSC).

Pontoporia blainvillei:


A toninha é a espécie de golfinho mais ameaçada de extinção no Atlântico Sul. Ela ocorre apenas no Brasil, Uruguai e Argentina. Sua característica mais marcante é seu rostro extremamente comprido e fino, com uma testa bulbosa.

É um dos menores cetáceos, podendo atingir até 1,70m, costuma viver em pequenos grupos de dois a cinco animais e tem um comportamento muito discreto, o que a torna muito difícil de ser avistada no ambiente marinho. Ela ocorre em regiões costeiras e se alimenta de peixes, cefalópodes e crustáceos.

As capturas incidentais são as principais causas de morte da espécie. A mortalidade em redes de pesca costeiras, principalmente de emalhe, é registrada há mais de meio século, no Brasil, Uruguai e Argentina.

ALERTAS:

>> Caso encontre um mamífero, ave ou tartaruga marinha debilitada ou morta na praia, ligue 0800 642 3341, das 7h às 17h. Sua ajuda é fundamental para salvar vidas!

O CePRAM/R3 Animal fica localizado no Parque Estadual do Rio Vermelho, unidade de conservação sob responsabilidade do Instituto do Meio Ambiente (IMA-SC), em parceria com a Polícia Militar Ambiental.

Entre no grupo do SCC10 e receba as principais notícias da sua região pelo WhatsApp

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp

block/article/tags
block/article/query-columnist
publicidade
publicidade
block/article/social-network
block/general/block-plus-news

Veja mais