Coronavírus
templates/template-single-article-texto
block/article/header
Coronavírus Compartilhar
Pandemia

SC concentra esforços para transferir pacientes de regiões com alta taxa de ocupação de leitos

As transferências são feitas, na sua maioria, por meio terrestre, mas para percursos maiores é possível utilizar o serviço aeromédico.

block/article/social-network
block/article/content__sidebar
SC concentra esforços para transferir pacientes de regiões com alta taxa de ocupação de leitos
Foto: Divulgação, Corpo de Bombeiros Militar

Desde o início de 2021 até esta quinta-feira (11), 75 pacientes foram transferidos de hospitais da Região Oeste para unidades em outras regiões do Estado. Dessas transferências, 45 ocorreram em fevereiro. A ocupação dos leitos UTI Covid Adulto na região Oeste, era, na tarde de quinta, de 98,5%, enquanto que a média geral no Estado era de 70%, com 219 leitos disponíveis.

As transferências são feitas, na sua maioria, por meio terrestre, mas para percursos maiores é possível utilizar o serviço aeromédico. Os pacientes são transferidos desde que haja concordância expressa dele ou de um familiar, e a solicitação é feita via Sistema de Regulação, de maneira individualizada. De acordo com a Portaria SES nº. 423 de 23 de junho de 2020, que instituiu o Termo de Ciência de Transferência de Internação Hospitalar, o documento tem por objetivo esclarecer ao paciente, familiar ou responsável legal que, em condições excepcionais, poderá ser requerida a transferência. No caso de incapacidade do paciente, ausência do responsável legal ou recusa de assinatura, deverá haver justificativa por escrito no termo. O termo é necessário tanto para transferências para leito de UTI quanto para transferência de leito clínico para hospitais de retaguarda Covid-19.

Desde o último domingo (8), a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Superintendência de Serviços Especializados e Regulação, com apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Corpo de Bombeiros Militar  e do Grupo de Resposta Aérea de Urgência, trabalha em uma operação especial para transferir pacientes e diminuir a taxa de ocupação de leitos UTI Covid daquela região, distribuindo melhor a demanda entre as regiões do Estado.

Além disso, foram enviados dois respiradores para o Hospital São José, em Maravilha, e 10 respiradores WEG para a abertura imediata de novos leitos de UTI no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó. As ações dão continuidade à assistência prestada para aliviar as demandas de internações na região Oeste. 

Entre as estratégias está o pedido para que os hospitais mantenham sua capacidade máxima instalada ativa. Autoridades e população também precisam contribuir, mantendo e ampliando os cuidados de prevenção da Covid-19, como: lavar sempre as mãos com água e sabão e/ou utilizar álcool em gel 70%, usar máscara e evitar aglomerações.

Desde o início da pandemia, o Governo do Estado ampliou 75 leitos de terapia intensiva para a região do Oeste catarinense. A SES vem cobrando a reativação de quase 100 leitos que foram desativados, alguns deles nos municípios mais afetados pela pandemia neste momento no Oeste.

Para o enfrentamento ao novo coronavírus, o Governo de SC já distribuiu mais de 700 respiradores e monitores, além de insumos suficientes para o aumento em 160% da rede de UTI adulto nas unidades hospitalares catarinenses.


>> Para receber as informações mais importantes do dia pelo WhatsApp, gratuitamente, basta clicar AQUI!

>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK.

Entre no grupo do SCC10 e receba as principais notícias da sua região pelo WhatsApp

Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp

block/article/tags
block/article/query-columnist
publicidade
publicidade
block/article/social-network
block/general/block-plus-news

Veja mais