Coronavírus Compartilhar
Fiocruz

Recomendações sobre festas de fim de ano, confira

Buscando diminuir os riscos de transmissão do coronavírus no período, a Fiocruz lançou uma nova cartilha com um conjunto de orientações

Por

• Atualizado

Foto: Pixabay (banco de imagens)
Foto: Pixabay (banco de imagens)

As quedas dos indicadores do coronavírus no Brasil não apontam para o fim da pandemia. Esse aviso foi dado pelo o observatório Covid-19 Fiocruz, na segunda-feira (13). 

A chegada da nova variante Ômicron, representa um alerta sobre a doença e as medidas de prevenção durante as festas de fim de ano. O observatório solicitou ainda o avanço da vacinação. 

Buscando diminuir os riscos de transmissão do coronavírus no período, a Fiocruz lançou uma nova cartilha com um conjunto de recomendações sobre formas mais seguras de passar o natal e o réveillon em eventos familiares e pequenos encontros entre amigos, já que as aglomerações ainda devem ser evitadas.

Nas redes sociais, as recomendações poderão ser acessadas por meio de uma enquete que simula um jogo para a pessoa que deseja ir a um encontro de fim de ano da maneira mais segura possível. Também estarão disponíveis em formatos de cards informativos para compartilhamento pelo WhatsApp. 

A segunda edição da cartilha tem como mensagem a importância da vacinação como forma de proteção. Para os pesquisadores do observatório é necessário compartilhar as informações para conscientizar as pessoas a se cuidarem e incentivar a vacinação dos não vacinados. 

Segundo a última edição do Boletim do Observatório Covid-19 da Fiocruz, a proximidade das festas de fim de ano e das férias escolares tende a aumentar a circulação de pessoas nas ruas e impõe especial atenção sobre o monitoramento da intensidade dessa movimentação.

Sobre o cenário deste ano, o coordenador do Observatório Covid-19 da Fiocruz, Carlos Machado, acredita é mais favorável do que o do ano passado. Porém ainda é preciso manter-se alerta, especialmente diante das incertezas relacionadas à nova variante do coronavírus e à intensidade de circulação de pessoas nesse período do ano. 

Para Machado, o melhor a ser feito é se vacinar “Proteja você e sua família.”

>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK.

publicidade
publicidade

Veja mais