Cibelly Fávero

Jornalista, apresentadora e editora-chefe do SCC News. Desde 2011 está à frente dos principais jornais do estado na TV.


Colunistas Compartilhar
Cibelly Favero

Você é refém do juro ou faz bom proveito do efeito dele?

Quando a gente entende a matemática dos juros compostos, o olhar e o interesse mudam

Por

• Atualizado

Foto: Freepik
Foto: Freepik

Nossa conversa hoje é sobre o juro que é mesmo terrível pra quem pega dinheiro emprestado, mas incrível pra quem empresta

O que te vem à cabeça quando surge a palavra “juros”?

Lembra dívida cara, não lembra? Pra mim, por boa parte da vida foi assim.

Mas a verdade é que juro é mesmo terrível pra quem pega dinheiro emprestado, mas incrível pra quem empresta.

Quando a gente entende a matemática dos juros compostos, o olhar e o interesse mudam. E é buscando esses ganhos que surgem todos os dias milhares de novos investidores.

Da renda fixa à renda variável os juros compostos, ou juros sobre juros como também são conhecidos, “trabalham” incrivelmente sozinhos.

Rende bastante, mesmo?
Pra você ter uma ideia do quanto o seu dinheiro pode “trabalhar” sozinho, ou melhor, com o efeito dos juros, se você investiu o valor de R$ 10 mil em 2013, em renda fixa, hoje teria acumulado cerca de R$ 18.600, ou seja, um retorno de quase 86%, ou 1,86 vezes o valor investido.

Este é só um dos exemplos, mas os rendimentos variam de acordo com o tipo. Em outras modalidades, o valor poderia crescer ainda mais.

De olho na B3
De olho nesta multiplicação também cresceu o interesse dos brasileiros pela Bolsa de Valores.

Em apenas um ano o total de CPFs na B3 quase dobrou, segundo o mais recente relatório da entidade. Hoje são 3,5 milhões de pessoas.

Mas o economista de gestão da CTM Investimentos, Daniel Alberini, alerta que tem muitos investidores inexperientes “perdendo a cabeça” e perdendo dinheiro na bolsa. Segundo o Daniel, uma das razões é o pensamento imediatista e a falta de inteligência emocional.

É que o sobe e desce na bolsa é comum, mas quem tem o foco a longo prazo sabe que o mercado é cíclico. Com o tempo, o efeito dos juros compensa.

Tempo e paciência são aliados do juro composto

Em qualquer uma das modalidades, para ver o dinheiro render é preciso paciência! Os investimentos que mais trarão ganhos são a longo prazo. Não dá pra ter pressa e nem ser influenciado por situações momentâneas.

O Daniel ressalta que “Quem investe no longo prazo não deve se preocupar com uma situação pontual, como o coronavírus, por exemplo. É assim que os investidores que mais ganham dinheiro na bolsa pensam. O longo prazo tem este benefício.”

Além disso, é preciso entender como é a dinâmica das aplicações e fazer boas escolhas – você pode contar com ajuda profissional.

Se eu puder dar uma dica…

Mesmo se você decidir contratar assessoria financeira pra você ou pra sua empresa, não abra mão de entender sobre o assunto. Não dá pra colocar o dinheiro em algo que você não entende.
Pesquise, se informe, a internet está aí pra isso. Conhecimento vai te trazer segurança nas decisões.

Ok, mas por onde começar?

Primeiro você não pode estar endividado, certo?
Se estiver, a prioridade é deixar seu orçamento em dia.

Feito isso, dá pra começar com pouco. Menos do que você imagina!

Mas o texto ficou longo demais!

Vamos deixar essa conversa para o próximo. Combinado?


>> Para receber as informações mais importantes do dia pelo WhatsApp, gratuitamente, basta clicar AQUI!

>> PARA MAIS NOTÍCIAS, SIGA O SCC10 NO TWITTERINSTAGRAM FACEBOOK.

publicidade
publicidade

Veja mais