Roberto Azevedo

Roberto Azevedo tem 37 anos de profissão, 15 deles dedicados ao colunismo político. Na carreira dirigiu equipes em redações de jornal, TV, rádio e internet nos principais veículos de Santa Catarina. Estudou jornalismo, na UFSC, e direito, na Furb.


Direto Ao Voto Compartilhar
Eleições 2022

Moisés diz que temeu ficar isolado

Governador fez a declaração na convenção do Avante, com quem começou a conversar no ano passado, e agora teve o apoio oficializado

Por

• Atualizado

CINTHIA PIRES/SCC/SBT
CINTHIA PIRES/SCC/SBT

No discurso que fez na abertura da convenção do Avante, neste sábado (30), o governador Carlos Moisés (Republicanos) admitiu que temeu ficar isolado por não agir nas composições como a política tradicional, uma das teorias sustentadas até pouco tempo pelos adversários.

Quem acompanhou a conversa com parte da executiva do PSDB, na sexta (29), entende muito melhor o teor do que o governador disse, pois Moisés jogou um balde de água fria nos tucanos ao dizer que garantia 20% do gabinete de Celso Maldaner, candidato escolhido em convenção para concorrer ao Senado pelo MDB, e não fez sequer acenos sobre a ocupação que a sigla teria em um eventual segundo governo.

Evidentemente, isso não agradou os tucanos, que devem decidir rumar com Esperidião Amin, candidato do PP ao governo, que lhes ofereceu a vaga de vice na chapa majoritária.

O Avante é uma sigla que esteve no radar de Moisés para a filiação, antes dele se decidir pelo Republicanos, justamente pelo porte e pela falta de envolvimento em escândalos.

A presidente do partido no Estado, professora Terezinha Nascimento, com base em Joinville, sempre sustentou, desde dezembro do ano passado quando iniciaram-se as tratativas, que a sigla estaria com Moisés, independentemente da filiação, o que foi oficializado neste sábado (30).

>> Para mais notícias, siga o SCC10 no TwitterInstagram e Facebook.

Leia Também

Avante declara apoio à reeleição do governador Carlos Moisés

publicidade
publicidade

Veja mais